Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2008
"As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: "Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? Será que coleciona borboletas?" Mas perguntam: "Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?" Somente então é que elas julgam conhecê-lo. Se dizemos às pessoas grandes: "Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado..." elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma idéia da casa. É preciso dizer-lhes: "Vi uma casa de seiscentos contos". Então elas exclamam: "Que beleza!"LIVRO - O PEQUENO PRÍNCIPE, cap. IV.
Infelizmente em nosso mundo a frieza impera
O ser já não importa a busca agora é pelo ter...
E ter sem limites, para alimentar o ego ou para preencher algum vazio...A verdade é que o mundo está neurótico...
E as pessoas, já não se veem como irmãos.
Competem entre si por quase tudo,
Encontram diversão em coisas supérfluas, que fazem mal para o corpo e para a mente,Já não contemplam a beleza da natureza,
Já não querem uma vida simples,
Não respeitam, só reagem, na busca de ascensão...
No final, acabam percebendo que de nada valeu...
E é quando se percebem tão nus e tão fracos,
Aprendem que na vida,
Ter não é mais importante que ser,
Que nós é que complicamos tudo,
Afinal enxergamos a vida bem menos complexa...
E é então que vivenciamos a profundidade da frase:
“O que importa na vida não é o que levamos, e sim como a levamos!”
O amor agora é um verbo vulgarizado
Mas tão pouco sentido...
Nada mais faz sentido!
As pessoas se fecharam já não se olham,
Já não nem se tocam, a dor alheia não m…
As palavra são apenas limitações e qualificações
que jamais substituirão a imensa e escura vastidão dos pensamentos.
À doce melodia, que se ouve no silêncio da noite, nas madrugadas reais de um mero encontro virtual.


William, um amigo virtual que conhece bem o desvendar das letras...