Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

Poesia Maldita

Imagem
EM LETRAS GARRAFAIS
LÁ SE ENCONTRA O LAMENTO
TANTO EM NOITES QUANTO EM DIAS
INFELIZ TORMENTO
SE É DECRETO DOS CÉUS
OU PIRRAÇA DO INFERNO
ENCONTRAMOS GAIOLAS
CONSTRUÍMOS GAIOLAS
MORAMOS EM GAIOLAS
E NELAS PADECEMOS APRISIONADOS
NUM QUERER SERVIL
UMA OBEDIÊNCIA SANTA
OU UM DESCOMUNAL
A VERDADE É QUE TODA DOR

AQUI TERMINA EM PALAVRAS
TODA DOR NOS CAPACITA
E EM CADA UMA DELAS
HÁ POESIA MALDITA.






























Imagem: Weeping Nude, de EDVARD MUNCH

Ana Paula Duarte- desengaiolando.

Mosaicos

Imagem
Você é uma pessoa única, não há ninguém em todo o universo como você. Essa singularidade e nossa incrível diversidade nos fazem humanos. Deus nos fez assim. A diversidade humana nos torna belos, torna o mundo colorido, repleto de sabores, cores, sons e sentidos vários. A beleza da diversidade nos tornou seres encantados e teimamos em ser muitos, cada um de nós somos vários: Somos Caeiros, Ricardos, Anas, Messias, Capitus. Somos muitos, apenas um; Mosaicos. Cada um desses que existem dentro de nós mesmos tem sua força, e juntos somos fortes. Somos fortes quando essa multiplicidade e diversidade, que se chama Eu, encontra-se com outra pessoa e lhe dá as mãos.
Um grande poder vem ao encontro de tudo isso, poder que não deseja a diversidade, mas a igualdade, a padronização. Para utilizar as pessoas, para ter poder sobre elas, elas precisam ser iguais, massa humana. Nietzsche chama essa massa de Rebanho, Foucault chamou de Sociedade Disciplinar, a Igreja chama de fiéis, a escola de alunos, a…