Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2008

Have You Ever Seen The Rain?(tradução)

Imagem
Creedence Clearwater Revival

Você Alguma Vez Viu A Chuva?

Alguém me falou há muito tempo que há uma calmaria antes da tempestade.
Eu sei; vem vindo há algum tempo.
Dizem que quando terminar choverá num dia ensolarado.
Eu sei; brilhando como água.
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva?
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva caindo em um dia ensolarado?
Ontem e nos dias anteriores, o sol estava frio e a chuva estava forte.
Eu sei; tem sido assim toda a minha vida.
E para sempre assim será através do ciclo, rápido e devagar.
Eu sei; isso não vai parar, eu me pergunto.
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva?
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva caindo em um dia glorioso?
Yeah!
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva?
Eu quero saber, você alguma vez viu a chuva caindo em um dia ensolarado?

Amadurecência

Imagem
Senhoras e sem dores
Bem vindos ao teatro mágico

Parto
Parto...
A poesia prevalece
A poesia prevalece

Primeiro senso é a fuga.
Bom na verdade é o medo,
Dai então a fuga.

Evoca-se na sombra uma inquietude,
Uma alteridade disfarçada
Inquilina de todos nossos risos.

A juventude plena e sem planos se esvai.

O parto ocorre.
Parto-me
Parto-me
Parto-me
Parto-me

Aborto certas convicções
A bordo demônios e munias
Flagelo-me
Exponho cicatrizes
E acordo os meus com muito mais cuidado,
Muito mais atenção
E a tensão que parecia nunca não passar,
O ser vil que passou para servir para, discernir,
Harmonizar o tom, movimento som

Toda a terra que devo do ar
Todo o voto que devo parir
Não dever ao de vir,
Nunca deixar de ouvir

Com outros olhos...
Com outros olhos...
Com outros olhos...



(O TEATRO MÁGICO)

Vontade de hoje

Imagem
Hoje a minha vontade é de apenas gritar,
desafogar a alma, quebrar os vidros da hipocrisia
E que meu sofrimento esteja exposto, sim!
O terror do homem é o medo do amanhã, da falta de dinheiro e da morte...
Mas eu lhes digo, o pior dos perigos é estar vivo,
E é também o maior mérito...
Estou viva, posso respirar e sinto em minhas entranhas a força da vida...
Ainda assim, hoje eu só quero gritar, porque a vontade flui.
Vontades que vêm do nada...e do nada permanecem!
Esta mesma vida que em nós se renova a cada dia,
Nos proporciona um coquetel de novos sentimentos.
E eu quero apenas viver cada um deles com intensidade.
Hoje é dia de gritar e é o que farei com todo o fôlego!


Ana Paula Duarte

Bom conselho gratuito

Os simples mortais que não compreendem,
e se prendem a vida como se a conhecessem de fato e pudessem controlar tudo,
a estes coitados,
me polpo de tentar explicar as coisas simples...
As complexas lhe são mais familiares...
A praticidade da vida é inerente ao ser que a governa,
Pro mal ou pro bem, temos apenas que escolher...
Quem disse que viver não é fácil?
Viver é o que há!
E viver é simples demais.
A vida é como o amor, inexplicável,
Não se classifica; apenas se sente.
Então,
Seres viventes do planeta terra, onde também me incluo...
Ide a vida, sem medo... A desbravar...
Antes que chegue o tempo da escassez de ar!


Ana Paula Duarte.

A força de um homem

A força de um homem não é vista na largura de seus ombros.
Vê-se na largura de braços que o rodeiam.
A força de um homem não está no tom profundo de sua voz

Está nas palavras delicadas que sussurra.
A força de um homem não é medida por quantos amigos ele tem.

É medida no quanto é um bom amigo
com os seus filhos.

A força de um homem não está em como é respeitado no trabalho.
Está em como é respeitado no repouso.
A força de um homem não está no cabelo em seu peito

Está no coração que está dentro de seu peito.
A força de um homem não está em quantas mulheres ele amou

Está em se ele pode verdadeiramente amar uma mulher.
A força de um homem não está em como duramente bate

Está em como ele amorosamente toca.
A força de um homem não está no peso que pode levantar

Está na carga que pode compreender e superar.

Por Maxine Chong.

Declaração de amor

Imagem
Esta é uma confissão de amor: amo a língua portuguesa. Ela não é fácil. Não é maleável. E, como não foi profundamente trabalhada pelo pensamento, a sua tendência é a de não ter sutilezas e de reagir às vezes com um verdadeiro pontapé contra os que temerariamente ousam transformá-la numa linguagem de sentimento e de alerteza. E de amor. A língua portuguesa é um verdadeiro desafio para quem escreve. Sobretudo para quem escreve tirando das coisas e das pessoas a primeira capa de superficialismo.
Às vezes ela reage diante de um pensamento mais complicado. Às vezes se assusta com o imprevisível de uma frase. Eu gosto de manejá-la – como gostava de estar montada num cavalo e guiá-lo pelas rédeas, às vezes lentamente, às vezes a galope.
Eu queria que a língua portuguesa chegasse ao máximo nas minhas mãos. E este desejo todos os que escrevem têm. Um Camões e outros iguais não bastaram para nos dar para sempre uma herança da língua já feita. Todos nós que escrevemos estamos fazendo do túmulo d…