Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2008

Caminho

Os passos desnudam

O caminho

Margem da cordilheira

Onde anda o peregrino.

Tímidos passos no chão

No reflexo dos olhos as estrelas

Que deitadas na mão

Do céu que.. Olha

O caminho

E a borboleta que flutua

Na palma do peregrino.



R.Vinicius

(Essa poesia foi feita especialmente para mim, combinando com o título do Blog!Adorei amigo Vinicius!Talento é o teu sobrenome!)

A poesia e eu

Eu sou toda poesia...
E a poesia que há em mim, aturde e assusta, clama por mais espaço...

Clama por novos horizontes e novas experiências.

Absorve tudo ao seu redor e diferencia-se cada vez mais de minha personalidade rude,

Tornando-se um mix interessante de comportamentos, sentimentos e pensamentos.

Que ela em mim torne-se a pele que me envolve, os tecidos que compôem meu corpo...

Que ela me seja tão vital quanto o ar que absorvo,

Que eu e ela, juntas, formemos uma bifurcação firme e eterna.

Que ela me tome completamente...Eu deixo!

Eu me alimento de poesia, da mais profunda poesia que sai de mim mesma.

E ela me leva...feito uma folha de outono exposta ao vento.



Ana Paula Duarte

Revolta

Acabou de dar no jornal a notícia oficial sobre a morte cerebral da Eloá...Sabe o que eu acho? Ela já estava morta desde a segunda-feira, quando o seu ex-namorado, o tal Lindemberg, que de lindo nem mesmo o nome, movido pelo diabo do seu caráter aliado ao diabo entidade do mal, invadiu seu apartamento e a prendeu ali sob a mira de um revólver.Por que eu acho isso? Ora, ele foi ali para cometer o crime, comprou arma, organizou um horário...Só não percebeu quem ainda acredita em conto de fadas. Isso suscita a discussão sobre a questão da possessividade nos relacionamentos.A maioria dos relacionamentos é enredado por um ciúme doentio e imbecil, afinal ninguém é dono de ninguém...As pessoas sentem necessidade de alguém que as complete...Pois bem, nós precisamos que Deus nos complete!Não devemos buscar o que nos falta no outro, ser falho e incompleto, humano.Temos que entender o real significado de um relacionamento meu povo, pois não é esta entrega absurda do corpo e da alma, não é essa de…

Sobre a beleza

Uma mulher bonita não é aquela de quem
se elogiam as pernas ou os braços,
mas aquela cuja inteira aparência
é de tal beleza que não deixa
possibilidades para admirar
as partes isoladas.

Sêneca Nossa, será que sou uma mulher assim, será que somos mulheres assim? E se não somos, o que é que nos falta? Será que estamos realmente preocupadas com as partes isoladas? Precisamos rever isso! Os créditos são de Vivian Maguinther, foi em seu blog que encontrei o texto e gostei bastante, postei aqui. Ah, e a garota da foto sou eu...rs... Abraços.
Eu quero a poesia, sentir a poesia,
descobrir-te...cobrir-te...
afundar-me, inundar-me,esvaziar-me,
encher-me do que faz falta em mim
e encontro em ti
nada mais...!

Árcade [Poesis]

(Dayana Karla, mais uma companheira literata talentosíssima)

Eleições 2008

Fiquei dias pensando se escreveria ou não sobre os acontecimentos da última semana de campanha nas eleições para prefeito e vereador em Feira de Santana. Pensei, pensei... Pensei!Mas estive em cólera por alguns dias, então resolvi deixar que os meus ânimos se acalmassem pra que então eu pudesse ser mais sucinta e menos barraqueira. O que eu vi foi o que todo mundo viu, eu posso apenas ter me incomodado um pouco mais. A festa da democracia... Mas meu pai do céu, que democracia, eu pergunto!Quanta hipocrisia, quanta bobagem e quanta futilidade. É atual prefeito pedindo voto-presente pra candidato, é bate-boca demente em debates na TV, é horário político mais divertido que programa de humor... É eleitor não exigindo nada, é eleitor dando voto por qualquer bugiganga, é eleitor indo votar sobre o forte efeito do álcool!Até onde chegou o povo brasileiro... E a sociedade feirense, pobre alienada, aceita de bom grado as esmolas... Idolatrando um prefeito que apenas cumpriu com sua obrigação. E…

Chuva

Imagem
Neste exato momento chove lá fora...
A chuva traz renovação.
Quero que chova na minha vida também.
Pois logo depois da chuva, exala na terra um frescor sereno de limpeza.
Que a chuva limpe a minha vida também.
E que a encha de esperanças, que há tanto em mim já se foi.
Tenho me tornado mais cientista e menos crédula...
E isso não devia acontecer, não fiz planos pra isso.
Faz tanto frio... Faz tempo que não chovia assim!
É de uma chuva assim que necessita a minha vida,
Para voltar a florir como antes,
Amores fascinantes, presenças relevantes.
Que essa chuva me traga algo diferente...
Um motivo pra acordar sorridente todos os dias.
Uma novidade humana e imperfeita,
E que nela a simplicidade me encante
Mas que não seja a minha razão de viver,
E sim uma boa razão para continuar sorrindo.
Um amor pra mim.
Um ser que exista pra me completar.

Ana Paula Duarte.