A escrita

Uma menina que escreve frágil, tal qual escrevesse num diário ou uma jovem que escreve porque neste mundo da escrita ela possui a liberdade desejada?
Não me importo muito com fôrmas e estilos...Nem com títulos.Escrevo por necessidade.Mas que fique bem claro, não escrevo como terapia ou válvula de escape, é muito maior, é muito além, é respiração, é vivência, é o ajuntamento de "eus", "nós" e "nóis", que se ajuntam por meio delas, as palavras, as minhas sempre superabundadas e tão minhas, que acabam me desvendando e desnudando.Taí, pessoal e intransferível.E mais, sem preocupações com definições literárias.
A escrita deve ser prazerosa. Esse tópico frasal para mim é mais que suscinto!Mas, no meu caso, são orgasmos múltiplos, são abundância de sentimentos, de letras, de imagens...Tudo o que me torna prolixa na escrita e hiperbolicamente desequilibrada.Meu lado hermético pode imperar, sempre.Eu deixo.
Pois sei que este mundo é meu, mergulho aqui e as coisas fluem, exalam do profundo da alma.É tão descompromissado e sem rédeas...Tão diferente do comunal mundo.

Comentários

Daniel Savio disse…
Mas com isto, acabamos fazendo parte do teu mundo, o expandido, bem como o nosso mundo se expande, com essa troca de conhecimentos...

Fique com Deus, menina Ana Paula.
Um abraço.
Um caro cidadão disse…
Não há saída: quem não lê não escreve, e quem não escreve não sabe o que pensa. Só a escritura é capaz de explicar, para nós mesmos, o que pensamos. Só a palavra escrita é capaz de transformar esses pensamentos em frases que podem ser ditas para os outros. Essas frases, depois de escritas, serão sempre as mesmas frases com o mesmo significado; e não, a cada dia, uma frase diferente, que diria coisas diferentes para pessoas diferentes, e que, com o tempo, desapareceriam para sempre.


Edgar Peixoto de Moura - 50 anos luz, câmera e ação



Êta, que eu te vi aqui e ele ali.
Marcos Fellipe disse…
Pôxaaaa gostei demais... Orgasmos múltiploss... me ensine isso... Como diz o tio de um amigo meu, "há palavras que dizemos e outras que se dizem..." Eu invejo vc Ana, queria ser assim... poeta. O poeta não diz apenas, ele permite que as palavras encantadas que habitam na profundidade do seu ser se digam, aquelas palavras que dizem o indizível e o inexprimível... Belissimo post!! Continue assim... Escrevendo sem medo de mostrar-se... Isso me faz bem... Bjoooooo
Braulio Pereira disse…
como é lindo tudo o que escreves

gosto da tua simplicidade

da suavidade..


beijos!!!
R@mon_Vitor disse…
"são orgasmos múltiplos, são abundância de sentimentos, de letras, de imagens..."

E viva a força de expressão. auhauahua
Muito bom, pequeno, simples e cheio de elementos muito convenientes à mensagem
Sandra disse…
Oi Ana!
Um velho conhecido já dizia,que para escrever,bastava 'pegar' as palavras e juntá-las,para ir criando a forma desejada e assim,poder dar sentido as linhas escritas...Mas ler,é fundamental!
***********************************
Você escreve bem e nos expõe os sentimentos com clareza...Gosto de sua escrita!
Aproveita bem seu final de semana...Fica bem e té+! Bj!
lis disse…
Oi Ana Paula
Esse seu mergulho traz belezas à superfície, gosto dessa espontaneidade , a sua verdade.
Amo as palavras principalmente quando vem assim arrumadinhas ou não.
meus abraços
Gutox disse…
Otimo post,e concordo com o que está escrito no "Escrita",escrever vai além de muita coisa,não é terapia ou algo parecido.
Quando algo é escrito com a alma derramada sobre o papel mesmo sendo simples será o mais belo.
E como sempre...parabéns.
keu_azevedo disse…
Escrever é troçar de nós e de tudo que nos circunda.
Escrita é uma bela troça (triste)pensada.
=D
Divirta-se, chore...escreva.

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta