Cotidiano

Maria divagava naquela tarde.
Perguntou:
- Mas como pode a vida ser assim, tão dura comigo? Apesar dos meus tombos, reconheço-os e sigo em frente. Não sou orgulhosa, nem rancorosa, honro a pai e mãe, faço minhas orações, não causo danos a ninguém. Então, por que tanta coisa ruim acontecendo de uma vez? Por que meus algozes insistem em me fazer mal e nada lhes acontece? Deus!

Como divagava, não obteve respostas para as suas perguntas. Se as encontrasse, teria que compartilhá-las com um mundaréu.

Todos temos problemas, a diferença está em como reagiremos diante deles. Prossigamos a aprender e a viver, não há como deles correr.



















Ana Paula Duarte

Comentários

Gal disse…
É verdade!
a diferença está em como reagiremos diante deles.
Táxi Pluvioso disse…
Para cada problema há um pau para lhe dar na cabeça (ou levamos nós). bfds

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta