Distração

Imagem do Google, releitura de O Beijo, de Gustave Klimt

Era madrugada e as primeiras gotas de sereno caíam do céu.
Beijei-o
Beijou-me.
Já não existem os galanteios.
Olha-se para a boca
Deseja-se e beija-a
Rapidez e liquidez.
Que teu beijo me seja
Amuleto, caminho, perdição
Beija-me com força e atração
Engole-me, preenche-me
e apraz.
Desequilíbrio, invasão, perversão.
Delírios e línguas
Quem são os estudiosos do beijo?
A mim basta que seja voraz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta