Euforias e preocupações aturdem minha cabeça,
E já não tenho a inspiração companheira diária,
Que eu louvava e acolhia como uma benção unicamente minha...
Sobre o que falar?
Como tocar as pessoas?
Tocar as pessoas, por quê?
Num grau metafísico mergulhar em mim,
Inquietações minhas... Inquietações do mundo que absorvo.
É fácil escrever, agora o faço... O difícil é tocar...
O difícil é se abrir... Desarmar-se completamente.
Tento buscar novamente a inspiração da minha vida,
Caso alguém a encontre por aí, diga-lhe que tenho saudades.

Ana Paula Duarte

Comentários

"O difícil é se abrir... Desarmar-se completamente."
Isso é bem verdade...
Achei que só eu sentia isso...
O problema é que ao se mostrar,e os outros verem como realmente somos, que não há nada demais, apenas humanos,falhos [porém belos cm Deus nos fez]...As vezes rola um efeito tipo: "ahhhhhhhh então era isso?!"
As pessoas criam imagens fantasiosas umas das outras, isso as impede de tirar as proprias máscaras...Isso acontece conosco, infelismente...Mas que sejamos sensíveis o suficiente pra MUDAR!
Como diz o TM: "O poeta pena qdo cai o pano, e o pano cai..."
paula disse…
QUE LINDO ANA, O SEU BLOG E A SUA POESIA...PARABÉNS!!!
SUCESSO!
Wagner disse…
Nossa maior preocupação deve ser apenas com a busca pelo prazer da escrita.
Quanto a tocar as pessoas, a gente consegue quando nossos dedos já estão dormentes, por isso acabamos achamos que não estamos conseguindo, quando na verdade já os tocamos por palavras ou atitudes tão simples e puros.
Tom disse…
Olá!
Olha eu aqui.

E esse vem bem a calhar, estou também vivendo essa falta de inspiração intediante. Mas você conseguiu fazer dela sua inspiração. Gostei muito!!!
Olá Ana

Visite meu blog. Tem uma surpresa para você.

Um abraço

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta