E a vida é só tudo isso...

      Hoje é um daqueles dias em que o corpo está frágil, a mente está tensa e os nervos à flor da pele. Quero chorar e qualquer coisa me fará chegar às lágrimas! Em dias assim prefiro me meter num casulo. É. Sem paciência, não incomodo ninguém com os meus momentos ímpares de melancolia e me fecho no meu mundinho blasé de dias nublados.
      Todos temos estes dias, não é? Não sei, só sei que comigo quando acontece, tudo acaba sendo motivo para avaliações e reavaliações...Afinal, se temos tudo, por que então estes momentos tão incômodos? Os mais religiosos dirão que falta Deus, outros, que é tudo ilusão e há os céticos que dirão que não há preenchimento de vazios.
      Hoje estive fitando minha avó. Ela tem 85 anos, está velhinha e tem Alzheimer. Chorei muito. É difícil a condição de idoso, e fiquei ali investigando o seu olhar perdido...Em seu silêncio ela me diz tanta coisa! Lembro quando me reclamava tanto na infância, ah, eu sempre fui difícil! E hoje, mesmo ali, sentadinha em sua cadeira de rodas, ela tem tanta vida acumulada, sinto que ela quer permanecer na terra, entre nós, com sua simplória sabedoria de vida, sem precisar ler ou escrever artigos que elucidem e nos norteiem sobre comportamentos e relacionamentos na pós-modernidade...Sem recorrer a um divã, ela é capaz de ensinar tanto! Criou cinco filhos, lutou a vida inteira por sobrevivência, manteve o casamento por mais de cinquenta anos e de fato, o que ela e meu avô esperam agora é que só a morte os separe. Tudo isso apenas sabendo assinar seu nome graças ao Mobral. Não foi exemplo para a mulher moderna, mas nunca foi uma mulher submissa e fraca, sendo uma mulher de verdade em tempos difíceis de sê-la.
       Nossa, como aprendo com ela! E se essa doença hereditária que levou suas irmãs apareceu, vejo minha avó tão bem cuidada, tão amada, tão exemplo que ela deveria ser eterna, para o bem da Humanidade, para o meu bem...Acho que o peso de ser idoso/a deve ser grande sim, pesa porque é tanta experiência e sabedoria, que minha vó agora passou para um outro nível, o nível superior, do silêncio ou daquelas palavras que ela diz e que ninguém mais entende. É como se igualmente aos bebês, que também dotados da sabedoria inocente de quem traz o mistério da vida naqueles monossílabos que achamos tão engraçadinhos, é como se eles falassem a língua dos anjos...Por já terem a pureza de possuírem o amor em sua essência.
     Quais serão os interesses de minha avó, agora? O que ela quererá? Será que quer partir? Terá descoberto o segredo da vida, ou da morte? Tudo o que sei é que ela não tem problemas agora. Mas estará enfadada da vida? Não sei, só sei que tem tanta gente tão jovem e disposto que anda bem pior que ela. 
    São raras as vezes que estou ao seu lado, mas são tão grandiosas e inesquecíveis...Alguém que vale a pena estar junto, ainda que sem razão, ainda que em silêncio. E eu enxugo minhas lágrimas, abro um sorriso e ela me beija mesmo não sabendo quem sou de fato. E logo surgem aquelas palavras indizíveis do reino encantado, palavras inefáveis. E eu me sinto presenteada, eu me sinto feliz, com vontade de beijar este futuro estranho.


'Se, no teu centro
um Paraíso não puderes encontrar,
não existe chance alguma de, algum dia,
nele entrar.' Angelus Silésius


Ana Paula Duarte.

Comentários

Dayane Carneiro disse…
Maravilhoso e veio em uma hora q eu estava precisando. Obrigada pelos ditos e capacidade de fazer valer a existencia humana de suas mais variadas formas. Bjo!!
Os mistérios dos velhos e dos bebês...daqueles que não têm voz!!

Gostei demais de ler o seu post!!

Um beijo!

Sonia Regina
As vezes um olhar vale por mil palavras e esse clichê é realmente muito verdadeiro. Não sei por onde vaga a mente de quem tem essa misteriosa doença degenerativa, mas prefiro crer que é por um lugar bonito e que lá no íntimo de cada um que padece desse mal, só sobram as boas recordações.
E sobre suas emoções a flor da pele, isso te faz muito bem mesmo quando te faz mal, te inspira! Use isso a seu favor sempre. Nos meus piores dias saem meus posts mais engraçados e nos seus piores dias saem coisas lindas que bota o povo pra pensar, refletir e querer estar sempre bem. Que seu espírito melhore de estado! Um abraço, bom fim de semana.
Obrigada alguém muito envolvente, consciente e sensível!Obrigada por sua presença aqui, bem como a de todos os que são leitores e comentadores assíduos! Muito obrigada por compartilharem comigo suas e nossas emoções!!
Beijos^^
Ana, mais uma vez lúcida e linda!
Obrigada por escrever assim ... estas coisas que sempre nos explicam tantas inquietações ...
adoro te ler e nessa leitura te sentir!
Bom te ler assim tão lúcida e tão linda ... seus textos sempre elucidam várias inquetações ...

Não some não louca ... suas loucuras são das que eu mais gosto de ler ... e me reconhecer ...
Sonhadora disse…
Minha querida

Sempre textos muito reais e de pés assentes no chão, adorei e deixo um beijinho com carinho.

Sonhadora
Braulio Pereira disse…
Amei


saudades suas.


beijos!!

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta