Notívaga

 Nas andanças pelo sertão,
 a noite companhia mais presente
 é a luz que  divinamente
 ilumina a escuridão da noite fresca,
 a grande anular a ostentar sua beleza no céu:  LUA

 Mas nem sempre é tão graciosa,
Se possuindo fases, começa a despontar no céu imperceptível,
Sua face visível encontra-se totalmente escura
E a face oculta está lindamente iluminada.
Em meio ás estrelas, silenciosa e solitária,
 Nem de longe aparenta aquela enorme gigante d'algumas noites do céu.

Sua metade começa irradiando luz
  Frágil e solitária lá em cima,
Não se contenta apenas com a noite
Quer também ser no dia

A protagonista!
A grande anular está a me olhar.
A lágrima que caiu
A dor que chegou
A alegria e fúria da vida,
que como onda nos balança, leva e traz...

Não penso quando te olho
apenas sinto e entendo os lobos que de ti se enamoram
O romantismo acabou na terra
Poucos cantam para ti
E há tanto encanto ainda no mundo!

No máximo, hoje dizem:
- Ó, que linda a lua hoje!
E logo se perdem entre os arranha-céus...
Mas eu, há dias me deixei penetrar não apenas pela tua luz e grandeza
Mas pelo mister que tens.
E quando despontas no céu terrivelmente linda e enorme,
Agradeço ao Pai do Universo pelo presente
Astro luminoso a quem confidencio os mais escabrosos segredos.

Google imagens


Ana Paula Duarte.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta