Caixeiro Viajante do Século XXI



Escultura em bronze  intitulada "O Caixeiro" assinada pelo renomado artista Domenico Calabrone, 1988.

Não serão tuas promessas que me confundirão.
Nem tuas lembranças que me abalarão.
Já tiveste a tua sina,
O teu reino se partiu em três
Pedacinhos de sentimentos fracos, vagos, desprezíveis.
Então, agora segue só.
Vai fiar tua teia onde ela já não me alcance
Pois teus presentes, tuas falas e o que quer que faça
Não são capazes de ressuscitar mortos.

Ana Paula Duarte. Resgatando profissões antigas?


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta