Uma rosa com amor



Google imagens

           Atenção homens e mulheres! A seguir, algumas regras diárias de possíveis homenagens para todas as crianças que nasceram, tornaram-se moças e em seguida mulheres: uma questão de gênero! Independente de que sejam feias ou bonitas, homossexuais, heterossexuais, bissexuais, entre tantas nomenclaturas, podemos sempre escolher quem queremos ser, mas sempre iremos merecer respeito.
          Homens e mulheres, eduquem seus filhos de maneira igualitária, sem continuar a reproduzir a forma sexista e excludente que levam as meninas aos fogões, ao recato forçado e à inferiorização do feminino. Mas ensinem as crianças, que nascem sem saber segregar, competir e excluir, a serem pessoas que saibam dividir, repartir e que possuam senso de coletividade, pois isso independe de sexo e de gênero.
         Que você, homem, aprenda que sua esposa não é a sua mãe. Que como sujeito ela tem sua individualidade, sonhos e vida própria, que não precisa se acabar na cozinha e praticamente lhe dar comida na boca, lavar toda a roupa e limpar toda a casa sozinha, além de cuidar dos/as filhos/as para provar que pode ser mulher e dona de casa. Que isso é injusto, já que ela não mora sozinha e não fez bebês sozinha! Quer homenagear sua mulher? Divida as tarefas domésticas com ela. Não é romântico? Tudo bem, ela te aceitou do jeito que você é, mas não precisar gritar com ela, humilhá-la, subjugá-la e nem batê-la ou mutilá-la,  só porque chegou nervoso do trabalho ou simplesmente porque deu vontade. Sua mulher não é um objeto, mas uma pessoa, que inclusive pode se cansar de você e tem todo o direito de te deixar por isso... Você não pode coagi-la, persegui-la e nem tentar matá-la, você não é dono do corpo da sua mulher, ela sim pode decidir sobre suas escolhas.
         E mais, àqueles que, por selvageria, ímpeto, loucura, neura, criação, dominação ou qualquer que seja a palavra que busque explicação para a possessão do corpo alheio sem consentimento, saibam que a culpa não é das roupas curtas e sensuais, nem dos shortinhos, saias e transparências que desenham os corpos femininos e causam desejos extremos, muito dos lugares que a mulher possa frequentar, se ela bebeu e ficou inconsciente. A culpa é sua, por acreditar que tem o direito de invadir uma mulher e usá-la! Quer homenageá-la? Não fique dizendo asneiras e nem hostilizando as mulheres nas ruas com piadinhas, cantadas com palavras chulas e pornográficas, isso também é estupro tal qual a invasão do órgão genital!
         E você, mocinha! Não diga bobagens do tipo: “ Ela é safada, olha a roupa...Pediu para ser estuprada!” Saiba que pudor ou despudor não tem nada a ver com violência sexual e podemos escolher a roupa que quisermos, andar por onde quisermos e ainda assim, será um crime e a mulher será uma vítima, sempre!
         Os/as patrões/as querem distribuir rosas às suas funcionárias no dia de hoje? Que iniciativa legal, mas antes disso, valorizem seu trabalho pagando o merecido, dando o mérito independente de sexo, remunerando igualmente homens e mulheres, já que é muito ultrapassado ainda creditar na superioridade masculina, isso já foi refutado cientificamente!
          Enfim, a homenagem principal é repensar as várias formas de machismo e sexismo existentes na sociedade e nos diversos setores sociais como família, escola, igreja, Estado, ONGs, veículos midiáticos, entre outros. Buscar mudança de pensamento e comportamento através de práticas não sexistas. Equidade de gênero não é rebaixar o homem e engrandecer a mulher, mas que ambos juntos construam um modelo de sociedade evoluída e igualitária, que foi muito bem expressado nas palavras de Rosa Luxemburg na frase “Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”, que deixa claro todo o desejo de luta das mulheres oprimidas e subjugadas por séculos e séculos.
         O 08 de março é uma data simbólica: é dia de luto pelas mulheres vítimas do incêndio numa fábrica dos Estados Unidos, onde 130 mulheres foram assassinadas porque lutavam por melhoria das condições de trabalho, ousaram ser vistas pela sociedade e pagaram com a vida de modo cruel.
         Desde então, essa data não é o dia de feministas, ativistas, ou qualquer outra denominação para quem luta por direitos iguais de gênero, mas foi dedicado a todas as mulheres em suas diversidades, sejam culturais, étnicas, religiosas, econômicas e sociais, basta ser mulher! E mais que um dia de homenagens, é dia de luta pelos muitos direitos que ainda faltam ser conquistados e garantidos.
         Não é fácil ser mulher, mas é uma delícia! Apesar de tudo a gente consegue, luta e vence!


Dedico a todas as mulheres que fazem deste um mundo melhor através de sua Luta!

Ana Paula Duarte

Comentários

Táxi Pluvioso disse…
Agora as mulheres sabem artes marciais e são os homens que apanham porrada, pelo menos nos países ocidentais :))) bfds

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta