AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA


Pintura do artista Edvard Munch. Imagem do Google.

Eu grito
Que é pra não conter a dor
Eu grito
Que é pra demarcar o território
E grito
Porque não respeito quem sussura
Grito
Pra bagunçar, ameaçar, surdar
Grito na multidão
Precisava ser vista
Mas agora só resta a solidão
Estou rouca
E sem voz eu grito
Ninguém mais me ouve
Ninguém mais me vê
Eu já não tenho forças nas entranhas
A dor silencia o meu grito
Mas eu grito
Que é pra aplacar a dor.

Aníssima.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta