E definitivamente...


Quando passas, nessa minha rua calçada de mágoas,
O passado recente se revela tirano e decisivo.
Mas o insistir nas rosas é vício meu.
Obcessão, pilhéria minha, brinquedo do meu ego...
Meu amor!
Houve julgamentos de todos os tipos e nenhum deles, em nenhum momento me trouxe real definição.
Pois não há e é o que me instiga a continuar.
Alimento um câncer?
Ou apenas sinto?
...
Me tornei refém de lembranças nem tão profundas e queridas, mas que me chegam a todo momento.
E quando me olhas sinto algo de maior...
É indefinível e utópico,
é um querer insano e um não querer racional,
E quando passas, por mim posso sentir teu calor
E o desespero que é a dor de não te ter.
E quando falas comigo posso delirar com tua voz
Tamanho o sentimento.
Tudo coopera pra que eu não acredite neste sentimento.
Meu comportamento psicótico, minha falsidade que disfarça...
A sua burrice em não notar.
Eu te amo e não sei onde isso vai parar.
Preocupante,
Distante, intrigante e irritante.
É implacável querer que tento dissimular.

Ana Paula Duarte.

Comentários

Daniel Savio disse…
Proponho o seguinte, mude o julgo, mude para o julgo da felicidade, este sim vale a pena ficar cativo...

E belo texto menina.

Fique ocm Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Adevaldo disse…
Sempre que quero ter um certo momento de alívio para as dores e as pancadas que a vida me dispõe, eu venho até o blog de Aninha e leio um dos seus poemas que só me confortam... e ela sabe que isso é verdade, tanto que no meu orkut é ela quem abre a minha definição sobre quem sou eu.
Abraços, querida e continue assim.
Adeva.
Bandys disse…
Ana,
Esvrever sobre o amor é falar de dor..É o preto no branco que vira cinza. È ser fenix.
Você relata com tanta sensibilidade que leio e releio, aplaudindo de pé.
Poetisa, não desanime!
A esperaça nasce dos brotos de amor. Não pare de escrever.

Beijos meus,
Paulo Tamburro disse…
Tinha que ser baiana.

Você é lindíssima e qualquer carioca trocaria suas praias, pela sua companhia, nas sua praias é... lógico.

Tenho uns blogs de humor, vem visitar-me, tá?

Adorei este seu texto, agora sinceramente, Ana Paula, você NEM, PRECISA ESCREVER NADA (RS).

Um abração carioca, da envergadura dos braços abertos do Cristo Redentor.
R.Vinicius disse…
"Porque pensar em sofrimento, ou dor, quando se fala em amor?" Ana é apenas o tempo.

Obs: Eu estou apenas ausente; E tu? Como está?
Déia disse…
Lembranças sempre existirão...

Mas a realidade te mostra o que?

Que é hora de seguir?

Não perca tempo com quem não está mais aí...

bj
Juliana David disse…
Oi Ana,

As vezes amamos que não nos nota, queremos quem não nos ama e não prestamos atenção em nossa volta. Ficamos tão fixados naquele amor utópico, inalcançável, que ao lado pode ter alguém que realmente te ama de verdade. Entretanto, ficar só não é o fim do mundo. Afinal nascemos e morremos sozinhos, temos que estar em hormonia com nosso eu.

Beijos.
tossan® disse…
Ah vovê voltou! Eu sabia...Que bom poder ver beleza tanto nas palavras quanto no perfil muito agradável. Beijo
Hebert disse…
Este é meu blog preferido.
Pena disse…
Fascinante Amiga:
Criou um profundo e imenso Post de significação imensa.
Extraordinária a sua preciosa escrita. Domina as palavras de forma fluída e de maravilhar.
"...Tudo coopera pra que eu não acredite neste sentimento.
Meu comportamento psicótico, minha falsidade que disfarça...
A sua burrice em não notar.
Eu te amo e não sei onde isso vai parar.
Preocupante,
Distante, intrigante e irritante.
É implacável querer que tento dissimular..."

Se realmente se importar consigo, regressa.
Tem um valor precioso e lindo.
Parabéns sinceros. Adorei.
Beijinhos amigos pela sua ternura em tudo o que é e faz.
Sempre a respeitá-la e a estimá-la.
Deslumbrado...

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade doce.
Bem-Haja, notável amiga enorme.
Que bom que voltou amiga.

Seja bem vinda!

Obrigada pela sua visita.

Ótimo feriado pra vc.

beijooo.
in natura disse…
Lindas palavras! Adorei o seu blog e vou voltar com mais calma e ver tudo. Bejuss
MEUS PENSAMENTOS disse…
ana paula que deslumbre de palavras pura emoção e sentimentos ,lindo !um bjo pra vc!
Rubens disse…
Seja qual for o motivo ou 'os motivos' que escreveu, voce tem o dom de passar para o papel, o que sente, ve e vive, dom para poucos, seu blog ta otimo!
Parabens Ana!
Beijoss
Rubens Féo (BINO)
a louca disse…
Adorei isso, bem minha cara, e acredite, estou nesse momento.
"...Tudo coopera pra que eu não acredite neste sentimento.
Meu comportamento psicótico, minha falsidade que disfarça...
A sua burrice em não notar.
Eu te amo e não sei onde isso vai parar.
Preocupante,
Distante, intrigante e irritante.
É implacável querer que tento dissimular."

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta