Loucuridade insana e noturna!

Afinal o que é se permitir? E o que é conceituar ?
Começo um texto perguntando, isso pode chocar, ou não!Adoro esse modo, espada de dois gumes, oito ou oitenta, os extremos! Mas pergunto mesmo isso, porque é a grande dúvida do momento. O que é se permitir? É apenas aceitar que há uma determinada vontade, realizá-la e realizar-se?Ainda que se quebrem algumas regras? Só isso?
E conceituar, é o mesmo que definir e ao fazer isso delimitar também? É apenas isso? No sentido do dicionário pode até ser... E é. Mas eu quero buscar novos sentidos pra permitir e conceituar... O que essas duas palavras tem em comum? Sei lá. Pode ter tudo ou nada. Talvez eu nem saiba o que é filosofar, não tive grandes mestres, mas acredito já tenho certa vivência e isso me respalda.
Sei é que gosto de escrever, de escrever o que penso, ainda que caraminholas, parafusos e pregos, umas coisas vão perfurar, outras nada farão, eu continuarei aqui, neste mesmo blog, com esse mesmo estilo e loucuridades mentais. Mas tenho sentido falta de certa originalidade de pensamentos nas pessoas e isso tem me irritado, talvez por isso me veio o louco desejo de dar novos significados a algumas palavras, palavras que tem para mim importância peculiar. Penso no encorajamento, pra se permitir de fato, num sentido amplo, social, mental, físico, o escambau! E também no conceituar, interligo os dois sentidos e nos dois há de se temer o perigo da falta de coragem e humildade.

Creio que estou viajando demais, mas nesta noite solitária onde o msn não anda lá muito convidativo a uma boa prosa, venho aqui pensar e repassar, pode servir para alguém, ou não.
É paranóico, eu sei, mas, bem vindos, me permito essa conceituação!!

Comentários

Hebert disse…
esse texto me fez muito bem.
bjs,
parabéns,
Dayane disse…
Cara amiga Ana, não sei se vale a pena o modo espadas com dois gumes, oito ou oitenta, o mundo é muito diverso e democrático para tanto, talvez não tão igualitariamente, mas as diferenças existem e devemos saber andar na corda entre uma extensão e outra... Grande será o sábio que caminhará assim! Gostei muito da parte do “permitir e conceituar”. Faz-me refletir que melhor que se permitir conceituar (onde muitas vezes conceituamos de forma duvidosa) é conceituar o PERMITIR... Devemos bater nessa tecla para podermos fazer de nossas vidas algo mais satisfatório para nós, onde o “si” possa contar mais que o “eles vão pensar...” Quanto ao filosofar, em minha concepção filosofar é saber viver... Em sua complexidade... MSN não muito convidativo por falta de algum fato, alguém ou novidade? Já pensou em se permitir para outros meios antes negados, excluídos ou bloqueados? Permita-se! A originalidade pode vir de onde menos se espera ou continue a conceituar o q talvez não conheça ainda, mas aí já não valerá indagar os conceitos alheios e a falta de permissão... No mais, grande texto, muito bom, uma grande auto-ajuda para aquele que se estagna na ignorância de viver apenas o que o outro permite!

Beijos! Dayane Carneiro
Daniel Savio disse…
Não seria uma tentativa de dar mais sentido a tua vida?

Algo de sair do comum e tão monótuno?

Um feliz natal e um prospero ano novo para ti =P

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
EDUARDO POISL disse…
Ele veio para iluminar o mundo.
Mistério de luz,
inunda nosso espírito em ternuras
e modifica nosso modo de agir.
Transforma nosso egoísmo
em ações concretas.
Jesus é esperança
e nos traz paz e felicidade.
Ensina o caminho
e anuncia a salvação.

Linney Jeanne Palma

Desejo a você e sua Família,
um feliz Natal, e muita paz, imbuído
do verdadeiro sentimento de
solidariedade e amor.

Abraços com todo meu carinho
Olá...Ana Paula,
Gostei muito do seu blog!!
Sobre este post, eu concordo plenamente; as pessoas cada dia que passa se tornam mais fúteis e superficiais;;
Mas vamos concordar que Autenticidade são pra poucos!!
Visite meu blog também e se for do seu agrado seja seguidora;pois já sou sua!!
Abraços... FELIZ ANO NOVO!!
Vanessa Pinho disse…
Gostei do "Loucuridade insana e noturna!"

Um barato!

Abraço.

Vanessa Pinho
Braulio Pereira disse…
lindo seu texto..


no seu mergulho nao há
oceano que nos separe.
no seu mar quero mergulhar..


beijos...
EDUARDO POISL disse…
Para você,
Desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.
Para você,
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.
Gostaria de lhe desejar tantas coisas...
Mas nada seria suficiente...

Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes...
e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua FELICIDADE!!!

Abraços com todo meu carinho
FELIZ 2010
André Meneses disse…
Lendo este texto, refletindo, chego à conclusão que as pessoas não dão o devido valor à ambiguidade do conceito.

Eu vou-me permitir cair na ousadia de dizer que o conceito não o é, pois a partir do momento em que cada um cria os seus próprios conceitos, eles deixam de ser conceitos, mas opiniões. Toda a gente se pode permitir a ter opiniões, quanto a conceituar...

Na minha loucura de dia 1 de Janeiro à noite, eu deixo também a minha pergunta.

Estará certo o conceito de conceito?

PS. Um bom ano de 2010 para você e continue com os seus textos... "divagatórios". Eu os adoro e acho que são uma maneira incrível de limpar a mente.
Olá Ana Paula,

essas duas palavras que você colocou em seu pensamento, permitir e conceituar, um necessariamente não depende do outro. Você quis colocar sentidos antagônicos neles para exprimir o que? O "sei lá" após a sua indagação abriu um enorme leque para reflexões sobre o que cada um pode significar. Da mesma forma como o que você colocou no início do texto, eles pode ter sentidos extremamente opostos. Conceituar de fato tem um certo tom de exatidão no que pode ser feito, construído, pensado e criado. Isso o torna um pouco engessado no modo de pensar pois ele segue regras. Já o permitir, é algo mais individualizado, de acordo com parâmetros que as próprias pessoas rotulam, tendo esses parâmetros limites, sentido, objetividade, graduação de valores e nem sempre segue regras. Depende do que cada pessoa acredita aceitar como regra ou não. Se a pessoa for mais liberal, vale tudo, o sentido de permitir é amplo. Se for uma pessoa mais conservadora, o permitir se torna mais restrito.

Tentei colocar algum sentido nessa sua loucuridade, não sei se ajudei em algo, mas de qualquer forma, expressei minha opinião.

Abraço para você Ana Paula,
e continue com esse blog que achei bastante interessante...!
R@mon_Vitor disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
R@mon_Vitor disse…
VOltei!
O seu blog tá uma maravilha, peso na consciencia por nunca mais ter vindo aki uhauahauhauaa

mas agora eu vim...

voltei com o meu blog, mudou de ome e endereço:
um-elefante.blogspot.com

ajeita depois
O Sibarita disse…
Ô moça retada! Se permitir, sim, se permitir, fia o que para você é uma quebra de regras ao se permitir, para outros nem tanto, é ou não é? Perceba... kkkkk

Então, o se permitir para mim são quebras de paradigmas internas e inerentes à própria pessoa. A própria palavra já traz no bojo a sua veradadeira essência "PERMITIR" reparou? Ah bom... kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Beleza sua postagem pensante, ah sim, quer dizer que no seu MSN nessa noite que postou não tinha nada interessante, né sua danadinha? kkkkkk

Só tinha lá os desiteressantes, os chatos e por que adicionou? kkkkkk Sei, o mundo não é perfeito e como tal teremos que conviver com estes para sempre... ruim, né? kkkkkk

bjs
O Sibarita
Braulio Pereira disse…
o meu obrigado Ana Paula

por aderir a minha casa é sua
esteja á vontade
assim nos conhecemos.
****
foi num dia de vento.
o amor aconteceu.
nos ecos de um lamento.
entre tu e eu....
***

meu verso para ti com carinho.


beijos fraternos flor..

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta