Elucubrações 1*


Nunca mais é um tempo tão pretencioso e definitivo. Nada pode ser assim. Em pensar que nunca mais, nunca mais tantas coisas! Umas para o bem, outras para deleites, outras, sem utilidades, outras, pertubadoras de paz, titubeantes...


O nunca é nada, e o mais o que é? E novamente pergunto, o que é PERFEITO?


Silêncio.


Não direi do que não sei. Posso apenas garantir verdade, lealdade e um pouco de loucura (talvez muita, você sabe voar?). Disso posso falar, porque assim sei viver e de todos os modos pelos quais pelejei, cheguei a este estado atual, imperturbado, contrito e celebrante da vida.


Por isso que não quero ousar dizer nunca mais. É deveras perigoso, é vidência de bêbado descarado.


Mais silêncio.


Mais silêncio e mais silêncio.
Nunca pensei que fosse gostar tanto.


Uma unção preciosa de sabedoria parece enfim ter dado o ar da graça...Decidir por outros caminhos!


A rotatividade da vida não espera, tudo pode acontecer, pois a própria vida veio mostrar que nada é absoluto, então, de fato, dizer nunca mais é muita pretensão, cara a cara com a realidade, aprendemos que nossas verdades são sempre questionáveis e mais, que muitas delas são mentiras.
Que caem as verdades, as máscaras, os propósitos finais...


E se essas linhas são apenas elocubrações de uma mente que ainda não aprendeu a fazer sínteses, que não sabe viver longe de exageros e que possui um senso interpretativo peculiar, não levem a sério, ou retirem algo de bom...Pode ser que se encontre algo, ou não!
De tudo, o que podemos ter de certeza, é que as certezas são difíceis, mas quando chegam, trazem consigo grandes momentos epifânicos, que podem ser perigosos ou não, mas que podem mudar os rumos...Viva a rotatividade da vida.
Gira
Gira,
Gira mundo.


Tudo o que é sólido se desmancha no ar...(Marx)


E essa mesma rotativa vida, e esta mesma tirana vida, e essa mesma divertida vida, tal qual escola se mostra cada dia para nós e é onde aprendemos que sobreviver é o que interessa, ser feliz deve ser a maior ambição e devemos preservar os que amamos bem perto de nós...Acabamos aprendendo a não confundir um pedaço de vidro com um diamante.E que um sorriso, ah o sorriso, posso exagerar e classificar como o orgasmo da alma e não deve ser sacrificado.
Nesse instante chove lá fora, chove lá e chove aqui dentro de mim. Uma chuva boa, uma chuva gostosa, com cheirinho característico e um sentimento de leveza. Lembrei-me de que logo chega a primavera, aproveitemos a chuva, então.


Que delícia é, poder me libertar depois de eternizar essas elucubrações malucas e minhas através de palavras.
Sentir-me curada, alimentada, viva e produtiva...Ê vício, ê inundação, ê querança!
E viver me inspira cada dia mais.
Não sei quem escreveu isso, mas copio aqui com certeza "pouca coisa é necessária para mudar inteiramente uma vida: Amor no coração e sorriso nos lábios."


E gira,
Gira, 
Gira mundo.




Ana Paula Duarte.




PS: Agradeço pelo rol intelectual e iluminadíssimo de novos seguidores. Sinto-me lisonjeada ao extremo pelas presenças e agradeço os elogios que tenho recebido, só me deixam com mais vontade ainda de escrever dia após dia.Obrigada!

Comentários

Daniel Savio disse…
Realmente o mundo gira, bem como o nosso coração e alma...

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Adevaldo disse…
O mundo gira, assim como a fila anda, a lista se renova e a vida continua. O que nao podemos é ficar de luto a vida toda! Viver sem medo de ser feliz... é isso aí, Aninha, vamos chutar a bola pra frente. Besitos.
Ana Paula Duarte disse…
Não se trata de filas, Adeva, nem de luto, se tratam de prioridades, constatações, amor, paz e FELICIDADE...Pois então, que gire o mundoo!
Gutox disse…
Impressionante é quando a inspiração chega sem pedir licença.
E dessa vez veio se derramando de forma tão surpreendente que veio brotar esse belo texto.
Parabéns mais uma vez! =]
Blog do Gilvan disse…
Ana Paula:
Encontrei seu blog no blog do Carlos Rosa, e o que me prendeu a atenção e gerou interesse em conhecê-lo (la) foi o nome: achei muito bonito, pois acredito nisto, que há um lugar, não necessariamente físico, que acolhe com amor e compreensão, o que cada um é. Nosso trabalho é procurá-lo e encontrá-lo. Permita-me dizer mais: o nome ficaria melhor ainda escrito assim: A PÉ ATÉ ENCONTRAR UM CAMINHO, UM LUGAR PRO QUE EU SOU ...
Parabéns pelos textos.
abs
Gilvan Almeida
HSLO disse…
Eu gosto do silêncio...me da paz.


abraços
de luz
Everson Russo disse…
O mundo gira e a gente gira junto com ele tentando encontrar sempre o caminho...obrigado pela sua visita....beijos de otima noite pra ti.
... disse…
O único nunca mais o qual tenho certeza é q nunca mais haverá de existir uma criatura como vc, capaz de ressurgir, como um verdadeira Fêniz. Amiga, vc é perfeita! Suas palavras são sempre tão nossas q nunca mais me apeguarei a outras leitura como sou apegada aos seus textos! Continue assim, PELO AMOR DE DEUS, me preenchendo com essa delícia de leitura, de realidade, de emoção, de um mágico mundo real q só vc é capaz de dissertar!
Beijos...
Dayane Carneiro!
Bandys disse…
Saudade de te ler e de entrar nesse teu mundo que cada vez fica mais perfeito.

Um beijo
Entãao, elucubrações a parte !

Ana ameei o texto ,

como sempre , sempre consegue dizer pra mim alguma coisa que eu queria falar de mim e nem sei como .
Não pare , Srta.Anissima !


Mui bem !


Mui boom ,



mais uma veez salutar !
É... eu sei voar, moça. E minhas asas me possibilitam enlouquecer com suas belas loucuras, choros, elucubrações, com seus maravilhosos tudos, finites e flamboyants, com seus únicos risos, giros, giros, giros e inspirações...
Anísia Neta disse…
Silêncio...
Façamos silêncio para ouvir o vento, ouvir Deus, ouvir a gente mesmo...
Nada de verdades, nada de pra sempre, nada de nunca mais, nada de nada...
Apenas o silêncio!

P.S.: Alguém aí pode me ensinar a voar???
Aline disse…
Superação literária a cada dia que passa e elocubrações que acabam sendo as mesmas que as minhas, que as de D. Maria e Seu Antonio...Tão comuns!
Sua anormal das palavras, adoro-te.
Marcos Fellipe disse…
Aníssimaaaa... Belíssimo texto... Uma das constatações de meu parente Marx que mais gosto: "Tudo que é sólido se desmancha no ar..."Gira mundo... Gira, gira... Me traz a alegria de volta, as asas de borboleta... E alguém aí... "Me ensina a voar"(2)
Adri Ferreira disse…
Merece todos os elogios que recebe Ana.. adoro teus textos, sempre tão cheios de sentimento de liberdade e busca pelas respostas.... parabéns!!
Bjos
Adri
Ana Paula Duarte disse…
Obriigada pessoíssimas!
Eta q tá todo mundo querendo voar, vamos bater asas minha gente, todos nós temos- nossa coragem, nossa imaginação- Voemoos, sem medo, pq se cairmos, do chão não passa, a gente levanta e bate as asas p/ voar mais uma vez...Pq o mundo, ele GIRAAA!
Beijooocas a todos!!
Bandys disse…
Ana amada,
vim desejar um sabado de paz e deixar pra vc um poema de Quintana:


Somos donos de nossos atos,mas não donos de nossos sentimentos;
Somos culpados pelo que fazemos,
mas não somos culpados pelo que sentimos;
Podemos prometer atos, mas não podemos prometer sentimentos...
Atos são pássaros engailoados,
sentimentos são pássaros em vôo.

Mário Quintana

Voemos então!

Beijos
Braulio Pereira disse…
amei seus textos.. como sempre

cada palavra é um poema

voce é poesia tem alma iluminada
no teu olhar eu leio o que estás
vendo!!


beijo no teu olhar!!!
Thamara disse…
Gosto do que escreve, pois transmite o que não conseguimos relatar; Muito bom seu texto!
Um caro cidadão disse…
Me senti dentro de tua cabeça com esse texto.

Sei bem que esses silêncios, são mudos para o exterior, mas ricos em falas diversas para quem, de dentro, ouve.



Meus parabéns, mais uma vez, por essa transcrição tão nua de um pensamento teu.

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta