A síndrome do sapo-boi


Sabe uma coisa que me cansa deveras? É essa mania das pessoas em não respeitar aos outros. É esta sempre pseudo-superioridade, seja intelectual (que sinceramente mais me incomoda), financeira ou social. Este ar de "eu sei", "eu sou", essa vaidade sem fim...Vai pra puta que pariu com isso! Uma mania feia de rir do gosto alheio, essa ridícula pose por gostos americanizados (o clichê EUA), uma visão europeizada  de brasileiro esquizofrênico que mora no Brasil e quer viver como se estivesse em Paris, negando sua cultura, rejeitando seu povo, sua brasilidade e mais, não sabe aqui "morar", sendo um péssimo inquilino e vizinho.

Eu sei que a modernidade não é lá grande coisa, ela nos encheu de vícios e nos individualizou, mas ela tem os seus benefícios, entre eles a liberdade no pensar, no gostar, no expressar...Eu acho mesmo brega indivíduos que participam e têm acesso maior à cultura e mesmo a informação começar a desdenhar de quem não tem/teve as mesmas oportunidades, ou ainda ficar criando situações para mostrar seu acarbouço intelectual só para comparar e se sentir feliz em ser "o mais inteligente" ou o "fodão". Na real, isso é facilmente diagnosticável: complexo de inferioridade.

Então, por favor pessoas (me incluo neste pedido), vamos respeitar as opiniões, gostos, ideias, chatices, bizarrices, exageros, conhecimento, enfim, ter a sabedoria da humildade e respeitar o diferente. Não precisa interagir e nem aceitar, mas convenhamos que é muito mais chique e civilizado praticar o respeito, em pleno século XXI, onde as diferenças são tão acentuadas, isso é o básico!

O verdadeiro conhecimento vive longe da boçalidade e dessa vaidade inflável, ele reside em leitura de livros, olhares, gestos e pessoas. Vive na sensibilidade e na sociabilidade. Isto chama-se ser humano e não é privilégio de poucos...Não se aprende em livros e sim na vida, tanto no Brasil, quanto no Iraque, nos EUA ou  em Paris, conhecendo ou não grandes obras de arte, ouvindo as mais lindas sinfonias, interpretando as mais cultas obras literárias.
Há os que querem fugir dos clichês e por isso se sentem no direito de se auto-intitular detentores de intelecto (coisa que todos os portadores de cérebro tem), de toda a sabedoria...'Pela amor'!

Sabe o que é que eu quero e no fim é o que realmente importa? Eu quero é passar o tempo mínimo possível na frente do computador, quero continuar a desenhar minhas palavras no rascunho de papel da vida, quero a brisa matinal da janela de um ônibus sobre o meu rosto (é sim, de ônibus!), quero bater um papo com as pessoas da rua, rir litros na mesa de um bar numa roda de amigos, quero tratar bem as pessoas e ainda continuar a dizer o que eu penso, quero simplicidade, quero a sensibilidade de entender as pessoas, quero e gosto do popular e isso não é ser senso comum, pois, as gentes só me ensinam a ser mais eu. Eu só quero adquirir conhecimento e passar adiante, e não usá-lo para encher o meu ego. Eu não quero ser um sapo-boi!

Eu só quero amar e respeitar as pessoas, compartilhar nossos saberes, em suma eu quero o que todo mundo deve querer também, alguns com mais voracidade. Porque eu aprendi, que seja gari ou professor dr., todos têm a me ensinar e nosso destino final se cruza, lá debaixo da terra, onde não há divisão por intelectualidade extrema ou ignorância, a verdadeira ignorância é a petulância de se julgar superior em detrimento dos outros.


A parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemos.


(Platão)


Ana Paula Duarte

Campanha contra o ego inflado, pleeease!

Ps: Primeira vez que xingo aqui, perdão, mas, enjoei de pseudos, daí o vômito.

"Um momento de revolta não poderia fechar como um obrigado pessoal..rsrs." By Gutox Hieros

Comentários

Gutox disse…
Conheço muitas pessoas com essa sindrome ai viu rsrsrs
E concordo com esta sua revolta!
Hebert disse…
há varios sapos no modulo 2.
Tamarinda disse…
Permita-se xingar, Aníssima. Isso tem a ver com o fato do incomodo da agonia não cabe dentro de nós. Realmente, sapo boi ninguém merece e temos nós mesmos ter cuidado para não agirmos da mesma forma. Apoiadissima ai!
...
Então, cheguei aqui.
Meu abraço.
...
Elis Franco disse…
Nessas horas palavrões são necessários. Não precisamos de tolerância, precisamos de respeito !Apenas isso.
Sonhadora disse…
Minha querida

Um texto muito bom e verdadeiro.
realmente há pessoas que incomodam pela maneira de ser...julgam-se melhores que os outros, apenas tiveram outras oportunidades, eu não suporto pessoas vaidosas.

beijinhos com carinho
Sonhadora
jefferson disse…
Parabéns Ana! Sou seu fã e, de verdade, acho que vc esta aprendendo muito com nosso amigo... Essa revolta é válida, pois faz sentido. É isso ai menina, antena da vida ligada e, bola pra fente...
Chica disse…
Uma revolta bem justificada.

Mas sabe o que faço com essas pessoas? Ignoro e saio de fininho,rsrs...beijos, lindo fds!chica
Everson Russo disse…
Quantos sapos desses encontramos pela vida...rs..rs...beijos de bom final de seamana pra ti querida.
Rodrigo Garcia disse…
Difícil ter de engolir um sapo desse tamanho!

Abraços
Everson Russo disse…
Beijo carinhoso de lindo domingo e otima semana pra ti querida...
Táxi Pluvioso disse…
Bom... também faz parte indissociável da maneira de ser portuguesa. Todo o português pensa assim: eu sou bom, os maus, são os outros. É o síndroma do automobilista: eu conduzo bem, os outros é que que não sabem conduzir e provocam os acidentes. boa semana
Dayane Carneiro disse…
Pois é, seu texto mais parece uma biografia de alguém que conhecemos... Paciência! E pelo que conhecemos, essa pessoa, com certeza irá ler esse forma tão clara de expressar o que realmente são pesssoas como esta! Seu texto está ótimo, que bom q por meio dele vc desabafa e ainda ajuda a quem quer desabafar. Aqui sempre... Beijos!
Anísia Neta disse…
Muito bom Ana!!! Pessoas inchadas no ego só demonstram que são infelizes. Precisam sempre de mostrar alguma coisa que têm ousabem para serem aceitas!!! Vamos mesmo mandar todo pra PQP!!!! rsss
Daniel Savio disse…
Mas será que ficamos realmente tão individuais assim?

Pois muita vezes tenho impressão que saimos cópias da melhor banda, do melhor ator e etc que o comum acha...

E bom post para pensar menina =P

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Laís Portela disse…
Me identifico com o desabafo, principalmente porque existem vários desses sapos no mundo acadêmico... Não entendo, pois acho que quanto mais conhecimento tenho, mais humilde sou, pois vejo que ainda tenho muito que aprender!

Bom texto!
Abraços Ana!


PS: Mais uma vez nossas postagens se parecem... postei no blog um texto sobre como parecer culto... pra tentar mostrar superioridade!

Deixo lá aos palermas que buscam a superioridade e esquecem o conhecimento!
Marcos Fellipe disse…
kkkkkkkkkkkkk... Gostei demais do texto... Eu me divirto com a ignorancia dos "cultos" que não sabem nem mesmo que nada sabem.... rssss...

"Eu quero é passar o tempo mínimo possível na frente do computador, quero continuar a desenhar minhas palavras no rascunho de papel da vida, quero a brisa matinal da janela de um ônibus sobre o meu rosto, quero bater um papo com as pessoas da rua, rir litros na mesa de um bar numa roda de amigos, quero tratar bem as pessoas e ainda continuar a dizer o que eu penso, quero simplicidade"

Tb quero isso pra mim Ana... e se tiver isso e ainda vc por perto, serei um cara feliz... bjooo

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta