Iluminação ou questionamentos acerca das sensações



Para ler ao som de Oh, Sweet Mary de Janis Joplin.


                          


     Tudo é sentir! Que liberdade tão utópica, sempre quis! Mas eis que li, em algum lugar, um não sei quem que falou sobre sensações acima da razão, acima das representações. E sobre tudo aquilo que vemos e cremos, são meras reproduções, é tudo impressão. É tudo quimera... Basta o que eu sinto. E não venha me dizer que será um caos o meu mundo!
     O meu “eu” é um turbilhão. Não é fixo, definível, mas sim um feixe de sensações as quais vou tendo, as impressões que vou criando através de minhas experiências de vida. A soma de meus instantes faz o meu “eu” de cada dia. Esquizofrenia? Não, modificações, aquela palavra que ainda causa muito medo: mudança.
      E mesmo amando e apreciando a Filosofia, quero me apegar na arte que me inspira, no caminho que venho trilhando de dentro de mim, um resultado físico-mental de minhas evoluções. E vou trilhando, pois, a certeza não é absoluta. Nada é absoluto, nem mesmo a realidade e até mesmo nossas ideias não são nossas. ”Todas as nossas ideias ou percepções mais fracas são imitações de nossas mais vivas impressões ou percepções.”
E de onde nos vêm essas impressões? Do mundo, já estão prontas, são cópias.
       Eu não quero ter impressões, quero sentir... Assim é. E se a certeza é uma utopia, as verdades morais não são eternas, que caiam uma por uma, as minhas. Há tempos eu já esperava por isso. E sei que Deus, este Ser Supremo ao qual adoro, deseja o bem, me trouxe a liberdade do poder do conhecimento e quer que experimentemos as sensações puras estranhamente humanas, que só são pevertidas mediante o preconceito, a arrogância, a tirania e a desumanização. Contra isso quero correr, porque, tais coisas me afastam de Deus. Posso ter certeza das coisas que eu sinto? Serão as tais impressões? Ainda existem tantas perguntas e de nada mais há certeza.


Talvez, se lêssemos mais sobre um não sei quem chamado David Hume, nossas perguntas aumentem e nossas dúvidas tripliquem. Isso é bom, é ótimo.


*Citação de David Hume.
*Quadro "Sensações" da autoria da pintora Alexandra Cunha.


Gostaria de pedir desculpas aos meus leitores pelos dias que o blog ficou restrito, houveram motivos que já não vem ao caso agora, mas, eis que declaro aberto nosso espaço de elucubrar, pois é tão meu quanto seu. Abraços!

Ana Paula Duarte, como diria G. Rosa: "Sei quase nada, mas desconfio de muita coisa..."




Comentários

verinha disse…
Texto bastante rico e descobridor, ANA. Vejo q vc sempre engrandece seu horizonte e suas idéia e isso é de uma força positiva bastante grande. Continue lendo e reproduzindo da maneira q faz. Beijos!
Dayane Carneiro disse…
Uma definição bem clara, mas n tão simples, entre a filosofia + fé = Ana paula! Adorei o texto, os conhecimentos q esse trouxe a nós leitores e a vc qm o escreveu! Pq acredito q aprendemos tb qnd escrevemos. Texto com argumentação ao q há de mais complexo a vida e suas maneiras de encarar o "eu" e ao mesmo momento q a dúvida pode vir a tona, vem tb a certeza de um Deus supremo. Amei!
HSLO disse…
Brilhante esse texto.
Adorei.

abraços
Kássia Camila disse…
"As somas dos meus instantes, fazem o meu eu de cada dia".Me encontrei nestas palavras.Adorei teu texto, a maneira de sentir as coisas intensamente não tem explicação, é bom se entregar...
Bjo0s é um Fds!!!
Runa disse…
Descobri este blog, por acaso, mas ainda bem, porque gostei muito. Certamente voltarei mais vezes.

Beijos

Runa
Sonhadora disse…
Minha querida

Um belo texto que adorei ler...
As somas dos meus instantes...fazem os meus dias...é isso mesmo a vida.

Beijinhos com carinho
Sonhadora
Gostei do texto Ana.
Que bom que você compartilha conosco o supra sumo dos espaços literários que você frequenta e certamenta habita, ainda que momentaneamente!

Adorei!
Eu leio algumas coisas que você escreve, mas não tudo, odeio a comunicação, odeio descobrir pessoas, é que prefiro ser assim, agora mesmo você me deixou tão triste e feliz, feliz porque posso morrer sabendo que tem gente como você fazendo coisas tentando coisas... acho muito incrível alguém querer algo... Caramba, querer alguma coisa é um sonho pra mim. Mas eu não sei dormir
Ricardo Calmon disse…
ENTÃO,MININA ANÍSSIMA:

DÚVIDA NENHUMA TENGO,QUE JUNTO AO NIRVANA, DE ALGUMA MANEIRA ACESSAS,PELO BRILHO DE OLHOS TEUS,PELA ENEGIA E TRANSLUCIDEZ DE MENTE E ALMA VIVA TUA!
OBRIGADO PELA INTENSA DE VIDA CHAMA,QUE INOCULASTE EM CARDÍACO MIO!
MERCI,GIRASSOLICA MININA ANÍSSIMA!
POR AÍ NOS VEREMOS SIM,ENTRE MÚSICAS,POESIAS E SUSSURRAR NUESTRO!

BZU MÃOSZITAS SUAS!

VIVA LA VIEEEEEEEEEEEEEE
Bandys disse…
Olá,
Demorei mais cheguei.
Um texto pra refletir.
Muito bom.
Quero desejar tambem um super 2011 e que você caminhe por caminhos doces e tenha sonhos realizados.

Um beijo e um dia cheio de paz.
Marcos Fellipe disse…
Anaaaaa!!! Belo, Forte, Denso, Sensacional a reflexão... Gostei d+++... Lembrei de um amigo que iria gostar ainda mais, não me contive e fui procura-lo... Depois q ele leu seu texto ele disse assim:
"Eu adoro todas as coisas
E o meu coração é um albergue aberto toda a noite.
Tenho pela vida um interesse ávido
Que busca compreendê-la sentindo-a muito.
Amo tudo, animo tudo, empresto humanidade a tudo.(...)
Nada para mim é tão belo como o movimento e as sensações." Álvaro de Campos.... virou seu fã... rssss... Como não seria...
Gutox disse…
Aiai não digo mais eh nada aki viu
muito bom!
um "parabéns" não é o bastante mas é oq tenho agora :/
"E não venha me dizer que será um caos o meu mundo!" rsrs
Daniel Savio disse…
Sensações sempre mudam e com isto, o que eramos se mudou...

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta