Cadê ela??

 "E é na madrugada que o meu silêncio fala e se revela..."

"Venha vida, venha! Me pegue de jeito!"

"Mas, ainda ponho minha esperança em Deus, que como herança esta terra nos deu..."

"Ah, eu quero que a imensidão dos meus tudos transbordem tanto que chegue a contagiar até os infelizes..."

"Aquela cena pareceu-me de cinema, de romance, encantada, e eu ainda senti tudo o que de mais mágico aquele momento me proporcionou."

Que tragédia, não sai nada e já faz tempo!

Não, eu não estou louca (não mais que o costume), o que me acontece é algo que nunca me aconteceu. Há dias não consigo escrever uma linha que me agrade, uma só frase que me faça ter vontade de formar um corpo textual. Andei tensa uns dias  por conta disso, as palavras sempre vieram aos montes e junto com turbilhões de emoções e sentimentos, elas andavam lado a lado comigo! E agora parecem ter desaparecido. O mais engraçado é que estou no momento mais intenso e insano da minha vida, vivo os dias mais felizes e portanto inspiração não faltaria...O que estará me acontecendo? Vou eu mesma tentar formular uma pseudo- explicação para tal fenômeno: estou me cobrando mais, estou mais exigente, não me aceito escrevendo qualquer coisa. Aliado a isso tem ainda a questão de que tenho lido pouco, então sinto meu vocabulário "chulo"e mesmo "batido", sinto grande necessidade de enriquecer meu léxico! Será mesmo, minha gente, que eu terei conseguido alcançar a proeza do amadurecimento? Se a resposta for sim, ele foi duro comigo, pois influenciou na minha escrita e isso tem me deixado nervosa esses dias. Ainda quero escrever sobre tudo, tenho vivido tudo, mas, não encontro a forma certa e confortável para eternizar por meio das palavras. Quero inovar, talvez por isso, feito lagarta no casulo, minhas palavras estejam maturando dentro de mim, para mais tarde darem origem ao texto de fato, a borboleta livre e linda. Às vezes sinto como se faltasse poesia, como se faltasse um 'não sei o quê', outras sinto que ela está presente diariamente, mas estou exigindo dela perfeição demais. Já rasguei umas vinte folhas, sobre tudo discorri, cheguei mesmo a atear fogo, tamanho o descontentamento, mas não adianta, não sai nada, nada! Apenas palavras! E palavras são vazias, tenho que enchê-las de algo novo! É preciso um novo forro para minhas almofadas.

Deixo aqui um texto meu publicado neste mesmo espaço em 2008, quando por um tempo também fiquei sem conseguir escrever, como não sai nada, recorrerei justamente a falta de inspiração para encontrá-la, e ele nem tem um título:


Euforias e preocupações aturdem minha cabeça,
E já não tenho a inspiração companheira diária,
Que eu louvava e acolhia como uma benção unicamente minha...
Sobre o que falar?
Como tocar as pessoas?
Tocar as pessoas, por quê?
Num grau metafísico mergulhar em mim,
Inquietações minhas... Inquietações do mundo que absorvo.
É fácil escrever, agora o faço... O difícil é tocar...
O difícil é se abrir... Desarmar-se completamente.
Tento buscar novamente a inspiração da minha vida,
Caso alguém a encontre por aí, diga-lhe que tenho saudades.



Queria mesmo é estar em ebulição de ideias e palavras.!






















Desejo um Feliz Natal, Boas Festas a todos, Um feliz 2011, cheio de renovações e metanóias! Paz para todos nós e oremos para que eu logo possa escrever algo que me satisfaça, sou minha primeira cliente e não duvidem, a mais chata de todos.


Ana Paula Duarte

Comentários

Beto Lopes disse…
Você, tem um dom de se expressar, fala de si, sem saber que fala dos outros...

Não cometa o pecado, de se aproximar o máximo da perfeição. É bacana cobra de si mesmo, saber que você pode. Todavia não se prenda a isso.

Enfim, continue a nos presentear com belos textos, e com reflexões cotidianas...

Um abraço!
Dayane Carneiro disse…
Cara Ana, já me senti assim diversas vezes. Descobri q as vezes a felicidade é tão auto suficiente q não carece palavras, nos contentamos, INCOSCIENTEMENTE, com ela em forma de versos ocultos... Mas como somos amantes da escrita, acabamos exigindo o roteiro de tudo q engloba nossas vidas, mas td isso é muito normal. Ninguém é 100% inspiração o tempo inteiro. Vc pode está sendo a inspiração neste momento. Curta isso! No mais, ainda q achando que não tá dizendo nada, falou muita coisa boa. Adorei o trecho da "almofada" e o poema bastante rico. Já vi que vc não para nem parada. Beijos!
Marcos Fellipe disse…
Owww Ana que alegria saber q vc está feliz... Segundo Vinicius e Tom está aí a falta de inspiração... "Assim como todo amor só é grande se for triste,todo poeta só é grande se sofrer..."

Que vc vêm numa caminhada ingrime de amadurecimento, de crescimeto pessoal é notório...

Segundo tio Rubem Alves, o que diferencia pessoas comuns e mortais de um poeta é exatamente isso, o poeta não esta atrás de palavras, mas da Palavra... Aquela PAlavra que não habita na morada dos pensamentos, são como vento q sopra onde querem, pássaros selvagens que moram em nós, mas não atendem a nossa voz...

Fico aqui na torcida que vc encontre esta palavra que habita nas profundezas do silêncio, e continue a nos presentear com seus belos textos e poemas que sempre nos inspiram...

Bjooo Lindaaaaaaa!!!
C@urosa disse…
F E L I Z

N A T A L

Muita paz, harmonia e felicidade urgente para todos as amigas e amigos de todas as horas. Que Jesus seja o nosso exemplo e o nosso guia em todos os momentos de nossas vidas.


FORTE ABRAÇO


C@UROSA
Daniel Savio disse…
Tem hora que as letras faltam, mas será que neste casos não é para colocar os atos em prática?

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Léo disse…
Felicidade intensa, maturação como lua crescente, explosão de alacridade, logo, lapso de raciocínio, desabafo, encantamento...

Me encantei, me identifiquei. Bjo Ana!
Everson Russo disse…
Venho agradecer de coração, o seu carinho, a sua amizade, todo esse ano dedicando sua companhia, sua paz, sua luz ao Livro dos Dias, trago uma rosa de agradecimento e a mais bela estrela do céu, a estrela de Belém, que representa o nascimento de Jesus, nosso único Salvador, que veio nos trouxe paz, amor, sabedoria, e ensinou a maior essência da alma ao ser humano, o perdão, o acolhimento, e principalmente, a certeza de um Deus maior que tudo, maior que nossos problemas, maior que o universo. Desejo um Feliz Natal, cheio de amor, paz, união, serenidade, que os ensinamentos do Menino Jesus estejam no coração de todos...

Beijos na alma,
Abraços apertados no coração.

O Livro dos Dias/Everson Russo.
Ana disse…
Aníssima, É Natal!!!E que bom vislumbrar o nascimento da cumplicidade encantada, a amizade!!!
Um presente de Deus te conhecer neste ano e neste momento de vida, sua alegria contagia, e sua inspiração está em nós que contemplamos seu ser!!! Obrigada por vc e pelo texto!!!
mesmo qndo não quer escrever escreve!
já passei por isso tbm , e sei cm é ruim este deserto ...
mas sei que sairás dele dislumbrante...
deixe que elas venham sem que ne pra que...
qndo a gnt começa a escrever cria um caso de amor com as palavras ...
Dey disse…
Olá Aníssima, animadíssima. Acho perfeito o don das revelações. Você através do seu texto revelou reações profundas da existência humana, como por exemplo: a falta de inspiração em alguns momentos que não é um privilégio somente seu, eu mesmo nunca estou inspirada... kkkkkkkk... Mas adoro o seu jeito transcendente e imanente de envolver as palavras em seus textos.
Quero também revelar algo agora! Kkkkk... Quero revelar que estou chateado com Marcos Felipe, Léo e Anísia, pois os mesmo são seus seguidores e me privaram de conhecer tal graça, refiro-me ao seu belo blog. Kkkk (revelação bombástica esta hem kkk).
Linda, feliz 2011, tenho tido boas e excelentes informações ao seu respeito...
Felicidades.....
Puxaa, agradeço a todos pelas palavras de incentivo, obrigada! Dey, seja bem-vindo!!Obrigada e depois quero saber quais são essas informações a meu respeito...ehehe.
Ano que vem(falta pouco) quero poder voltar com força total!!Bjoos a todoss!

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta