Quando DEUS brincou de ser GRANDE

Esta manhã estava conversando com um dos meus preferidos amigos mortos, Alberto Caeiro. Ele me contava como num meio-dia de fim de primavera o menino Jesus Cristo tinha fugido do céu para vir brincar entre nós.
Meu amigo descobriu uma das coisas essenciais para entender o Cristianismo: Deus é menino, uma criança.
A maior heresia que há é acreditar que Deus é aquele ser idoso de barba e cajado na mão.

Quem, se não uma criança, sairia de sua solidão para criar, imaginar mundos? Quem, se não uma criança, ao invés de criar algo "sério", criaria um jardim e amigos para vir toda tarde passear com eles?  Quem, se não uma criança, proporia o primeiro jogo, tipicamente infantil, no qual ele desafia aos seus amigos a não comer de apenas uma árvore de todo o Jardim? Certamente esses não são comportamentos de "gente grande".
Mas além de ser criança Deus é uma criança sapeca, e como toda criança resolveu brincar de faz de conta, mas de maneira muito perigosa, resolveu brincar de ser grande.
Como todos já sabemos as habilidades de Deus são incríveis, e infelizmente ele conseguiu nesta brincadeira imitar direitinho os adultos. Logo se tornou rancoroso, ciumento, cheio de sí, e cheio de problemas de baixa alto-estima...
Assim se explica todos aqueles troços da Bíblia, aquelas histórias macabras a respeito de Deus que nunca conseguimos entender. Coisas de gente grande.

Só mesmo com a insensibilidade de um adulto para ser capaz de transformar a pobre da mulher de Ló em uma estátua de sal só porque olhou para a cidade em chamas. Uma criança saberia que seria impossível não olhar, ainda mais se um adulto ordenasse o contrário. Imaginem saber que o lugar que você mora será totalmente consumido pelo fogo, juntamente com todas aquelas pessoas, que foram suas companheiras, amigas, que nem mesmo as criancinhas seriam salvas. Seria muita insensibilidade não olhar para trás.

A insanidade de Deus aparece de forma ainda mais grave quando este se sente como os adultos que tem algum poder nas mãos e requerem obediência cega a seus subordinados.
Deus pediu a um pai que matasse o seu próprio filho como sinal de obediência, o outro insano obedeceu, e já ia matar o pobre do Isaque, sem nenhuma causa, somente para satisfazer os desequilibrados desejos do Deus adulto.
Em um momento de lucidez, Deus desistiu da loucura. Graças a Deus!
Mas infelizmente não foi sempre assim, a história fica cada vez mais grave. Num ataque de ciúmes, típicos em adultos, Deus manda irmãos matar irmãos, amigos e vizinhos, só porque resolveram adorar ao invés de Deus, que precisava sempre ser reverenciado e enaltecido por ter uma grave baixa alto-estima, um outro Deus, uma imagem de um Bezerro. Só nesse ataque de ciúmes foram 3 mil mortos (Ex 32. 25-29).
Pior foi quando deu uma de machão, de Rambo a missão, e se meteu a ser Senhor dos Exércitos... Essa foi a pior fase de Deus, a mais sangrenta e sem coração. Mandava seus exércitos matar todos, e quando desobedeciam, mandavam voltar, matar mulheres e crianças, decepar cabeças e pendurar em estacas... Foi uma barbárie...

Depois que caiu em sí, Deus percebeu que como todo adulto Ele tinha esquecido como era brincar, tinha virado um Deus sisudo, sem graça, sério. Não tinha mais criatividade, imaginação. Não conseguia ser de novo como criança.
Só havia um jeito, uma única esperança. Deus devia nascer de novo, nascer criança, e foi assim que aconteceu. Nasceu Jesus de Nazaré, o Deus menino. 
Jesus Cristo o Salvador teve como primeira e mais importante missão, salvar Deus de ser Grande...
A experiência de ser adulto foi tão ruim para Deus que ele já disse que em seu Reino só as crianças entrarão. O Deus menino já planejou tudo para todos nós nos juntarmos a ele para brincarmos juntos.

Para quem não conseguir se tornar criança não há motivo de preocupação, no céu do Deus menino cabem todos. Ele jamais projetaria uma máquina de torturas chamado inferno para punir eternamente quem não concordasse com ele.
O inferno certamente será um lugar repleto de brinquedos, onde os adultos deverão reaprender a brincar, reaprender a ser criança.




Marcos Fellipe Marques

Comentários

Isso sim é literatura!
Nossa, um dos textos mais brilhantes que já li. E sei que haverão os que, se sentirão ofendidos por vc ter chamado Deus de criança, pior, de insano...kkkk...Como se isso fosse ofensa...Affz, eu super adorei, outra pessoa não poderia ter escrito e nem mesmo teria coragem. Como eu amooo o Senhor Jesus, pois com ele sou livre das amarras opressoras das religiões e de dogmas de homens alienadores. PARABÉEENS MARQUINHOOS lol
Eurico disse…
Maravilhoso texto,Ana.
Parabéns ao autor.
Viva o Menino-deus. E que vivam as meninas-deusas também, como vc, que nos permite esse deleite espiritual, em seu amoroso blogue.

Abraço fra/terníssimo
HSLO disse…
Nossa que texto brilhante esse viu;.
Parabéns.
Eu conheço o texto que você citou do Alberto Caeiro.


abraços
de luz e paz
Daniel Savio disse…
Interessante, mas Deus é tudo, então ele são vários estágios / fases numa mesma essência...

Por isso tantos "papeis" para Deus.

Fique com Deus, menino Fellipe.
Um abraço.
Muito bom o texto.
É importante que as pessoas percebam que o Deus imagem que temos está muito longe de serDeus de fato.
Se Jesus disse que para entrar no Reino de Deus devemos ser como crianças é certamente porque se trata de um lugar onde somente as pessoas de coração puro entrarão.

Fica ai uma boa reflexão para este tempo de advento!


Parabéns pelo texto Marcos.
Gutox disse…
Muito bom esse texto e concordo com o Daniel Savio
"Deus é tudo, então ele são vários estágios / fases numa mesma essência...

Por isso tantos "papeis" para Deus."

Esse blog tá q tá hein rs
Adorei o texto...creio em Deus...preciso disto mas algumas vezes já refleti sobre esses "pecados" deste Deus Adulto!

...o Deus da punição também não aceito até porque penso que os próprios seres humanos se incumbem das próprias punições com seus comportamentos!

Brilhante o seu post!

Seja muito feliz!!!

Um beijo!

Sonia Regina.
paula disse…
Maravilha de texto: Denso, bom, livre!
Deus menino, a cara deste blog, porque pra ler aqui, é preciso ser também criança e viajar livremente pelo céu das letras. Parabéns a equipe do blog, um beijo a minha sobrinha querida.

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta