Postagem de comemoração de aniversário do Blog: Sobre quedas e sua beleza.

    Quedas. Quem nunca tomou um tropeção, ou mesmo foi-se ao chão? Se da Terezinha de Jesus, até mesmo o João Ninguém, todos já tiveram seus tropeços, por que cair é tão constrangedor? 
    Estive observando as pessoas, gosto de fazer isso quando estou em lugares lotados, fico analisando os diferentes comportamentos e achando-os magníficos! Vi uma menina que ia tropeçar, tonteou, se equilibrou, tonteou novamente, virou o pé, e novamente numa tentativa desesperada de se equilibrar, segurou num objeto, agarrando-se a ele e enfim, se ergueu. Saiu então, toda desconfiada pelo salão, com cara de vergonha. Imagino que a tensão era pelo medo de cair ali, na frente dos outros e ser motivo de risos. Todos iriam rir, com certeza, até eu! E então fiquei pensando, se a queda, é uma de nossas limitações físicas, algo tão previsível, por que nós rimos quando os outros caem ou temos tanto medo de cair?
    Sou expert em quedas! Quem me conhece sabe...Caí na escola, na lama, em casa, na rua...Me restaram os hematomas e hoje, quando caio, já estou tão acostumada que me preocupo mais com a forma de me levantar triunfal e lindamente simpática, aquela queda foi só um acessório, uma fatalidade previsível: se me desequilibro, obviamente vou ao chão e é isso...Mas há beleza numa queda: o seu levantar.
    Inicialmente, em minhas primeiras quedas, eu ficava ali no chão, toda envergonhada, esperando algum ser que se compadecesse e me erguesse, e logo saía chateada com o coro de risos das pessoas. Depois, comecei a rir de minhas quedas e com o tempo, fui aprendendo a me levantar sozinha, tendo mais autonomia sobre meu corpo, entendendo mais sobre minhas limitações. Eu fui aprendendo a fincar mais meus pés no chão, a não andar lerdamente com a face aos céus sem olhar o caminho, fui caindo menos...Mas continuei tendo quedas e continuarei ainda mais na velhice que me chegará...As quedas fazem parte, não há como correr! 
     O belo das quedas é o aprender a como cair, buscar proteger o corpo, melhor cair de lado do que de cabeça, melhor aprender a levantar logo de uma vez e sem vergonha, do que ficar ao chão a espera de alguém que te erga. Melhor desabar de uma vez ao chão, do que ficar numa dança do equilíbrio se segurando em algum objeto ou alguém. Levanta-se. A arte está aí, neste levantar. 
    Com o tempo vamos desenvolvendo técnicas de queda, de maneira que, ou caímos menos, ou nos levantamos com mais rapidez e começamos a ter mais cautela, podemos também nos tornar os maiores contorcionistas do mundo, que entre quedas e ameaças, consegue ir se esticando pra lá e pra cá para evitar os machucados que as quedas nos deixam. Ou simplesmente, alguns decidem assumir suas fraquezas e num ato louco, vivem a cair, perdem o vigor das pernas, sua força é vencida pela aceitação, uma aceitação covarde.
    



"Fiz a escalada da montanha da vida

removendo pedras e plantando flores."



Cora Coralina




    Acredito que não vemos a beleza numa queda justamente porque ela nos desestabiliza e tudo que foge ao nosso controle, que nos derruba, humilha, que nos mostra nossa vulnerabilidade e relembra que não somos imortais, mas sim criaturas tão suscetíveis sempre nos causa um mal estar de morte, de fim, uma sensação de rebaixamento. Não gostamos nem de contar sobre nossas experiências de quedas, quanto mais expor as feridas que elas ocasionaram. Deus fez certo quando nos deu pés e não asas...Aprendemos, desde nossos primeiros passos com nossas quedas. Que assim seja!



    Olá leitores! É engraçado, mas passei dias e dias procurando e pensando saber de que maneira eu comemoraria os três anos do Anaconfabulando. E mais uma vez, como num estalo, depois de observar a cena de uma quase queda, me veio tal metáfora. Pois bem, exponho aqui minhas marcas de quedas, como também as muitas alegrias, decidi me unir as letras numa união estável e eterna. Não sobrevivo sem elas, são a minha maconha, a minha heroína, o meu álcool. Embebedo e me sinto leve. E melhorei deveras, literariamente falando, até mesmo como maneira de superar-me para vocês, que sempre estiveram aqui comigo e que merecem as melhores postagens! Aqui também já tivemos de besteirol  à teologia. E entre quedas e alegrias, nada ficou de fora, nada! Gostaria de agradecê-los, até mesmo quando, num surto de demência (uma queda feia), tirei o blog do ar e todos foram atenciosos e importantíssimos  na sua reabertura. O meu muito obrigada, o meu afeto, carinho e amizade. O sucesso do blog é nosso, divido com vocês e com meus três colaboradores que, vez ou outra aparecem por aqui (Quezia, Wandson e Marcos). Vocês me conhecem demais, aqui eu me debulho, aqui eu leio seus comentários e me inspiro, me servem de conselho, até as críticas quando aparecem...Vamos que vamos para a frente, afinal para trás já não dá!
    No dia 23/03/2008 esta página foi aberta, graças ao convite de Keu Azevedo, amiga e colega literata, que instigou-me com um "Ana, por que você também não faz um blog?" E fez-se o blog. A postagem, na verdade nenhum texto literário e sim uma música, dedico agora as letras, a literatura, eu a amo e sem ela não sou.


All star


Estranho seria se eu não me apaixonasse por você



O sal viria doce para os novos lábios


Colombo procurou as Índias mas a Terra avisto em você


O som que eu ouço são as gírias do seu vocabulário

Estranho é gostar tanto do seu All Star azul

Estranho é pensar que o bairro das Laranjeiras,

Satisfeito, sorri quando chego alie entro no elevador aperto o 12 que é o seu andar não vejo a hora

de te encontrar e continuar aquela conversa que não terminamos ontem ficou pra hoje.

Estranho mas já me sinto como um velho amigo seu

Seu All star azul combina com o meu, preto, de cano alto

Se o homem já pisou na Lua, como eu ainda não tenho seu endereço

O tom que eu canto as minhas músicas para a tua voz parece

exato.


Nando Reis





GRANDE BEIJO, Ana Paula Duarte.

Comentários

Keu Azevedo disse…
PARABÉNS, Ana!
- que dizer? Você precisava de um blog... É palavra, emoção, confusão... Tudo junto e demais aí dentro!
Exponha-os sempre. E lindamente. ;]
Dey disse…
Não faz muito tempo que tomei maior "quedão", foi muito constrangedor e humilhante, mas de alguma forma me levantei. Porém, me levantei melhor, mais autêntico, decidido e atencioso! Alguém me disse: "você caiu pra cima!"
Parabéns, Ana!
Você é uma pessoa apoteótica...
Seu blog é uma brincadeira, adoro ser criança e brincar com ele!
Faço altas viagens lendo seus textos... Vc é sempre muito imprevisível, acho isso o máximo!

Um xero!
Léo disse…
Sou bastante desastrado, já caí inúmeras vezes, e realmente agente acaba aprendendo a cair ("melhor é cair de lado do que de cabeça")e a levantar-se sozinho, mas pra mim a maior lição foi o que os hematomas me causarão; sim, pois eles me fizeram mais solidário e compreensivo isso pra mim não tem preço, pois custei a aprender e ainda estou aprendendo, sempre!!!

Parabéns pelo seu espaço Aníssima, ele é uma é delícia!!!
Pooxa, não sei se te agradeço ou a Deus por ter dado tanta comoção imaginativa a ti Aníssima...
Eu devo agradecer aos dois...E a você pelas palavras de sempre aqui e no meu blogger nas minhas postagens...não sabes o quão valiosa são... vc e suas palavras...
Tenha certeza de qe o nosso bem maior neste plano são as palavrs qe semeamos ao vento na vida de nossos leitores , já tomei posse disso e ainda qe mtas lombrigas achem uma merda e qeiram competir nem chegam aos nossos calcanhares... sabe pqe? como somos lispectorianas!sentiu?
tabefe!
te adooro! vc já é uma amiiga qe eu considero e muiito!
minha doidiinha preferiida!
Anísia Neta disse…
Aníssima!!! Fico muito feliz com sua ousadia, seu desprendimento, sua vivacidade, sua alegria, seu compromisso com a vida e com o amor!!
Fico mais feliz ainda por esse seu espaço ser a expressão de vc!!! Posso saborear mais e mais das delícias que vc prepara rss!!!
Do tempo todo que te acompanho tem uma poesia que eu adorei!!! Sabe aquela coisa que vc lê e diz... "queria ter escrito isso..." então... Quero te parabenizar colocando o texto seu que mais gostei:


PINTURA

Cobri meu rosto de protetor, base, pancake...
Abusei do blush, delineei meus olhos e lábios
Enchi-me de mimos, acessórios, hidratantes, perfumes...
Essa fui eu.
---------------------------------------------------------
De repente,
Borrou toda a pintura,
o lápis, escureceu minha face,
o blush manchou as bochechas
o pancake me envelheceu.
E os acessórios perderam a cor...
---------------------------------------------------------
Prendi os cabelos,
Lavei o rosto, olhei-me no espelho
Cara limpa, imperfeições à mostra
Nunca me enxerguei tão plena!
---------------------------------------------------------
Há certas pinturas escondedoras de beleza
São máscaras que nós mesmos criamos
Mas que não ascendem o brilho natural que nos acompanha.


PARABÉNS!!!!
marta disse…
Ana amei a "Postagem de comemoração de aniversário do seu blog parabéns!!Deixo esta mensagem pra vc : Bom mesmo é ir a luta com determinação abraçar a vida e viver com paixão, perder com classe e vencer com ousadia, pois o triunfo pertence a quem mais se atreve... e vc merece o triunfo Parabéns Bjss Marta
"Estranho, mas já me sinto como um velho amigo seu".
OI, muito interessante seu blog, to passando aki pq vi q vc é seguidor do blog do meu amigo, Mailson, e por isso quero convidar vc para dá uma olhada no meu blog http://otaviomsilva.blogspot.com/
desde Já agradeço, Forte abraço
Marcos Fellipe disse…
Oi Anaaaa!! Minha blogueira preferida... Parabens pelos 3 anos... Obrigado pelo presente e pela confiança de me convidar para participar desse pedacinho da sua vida... Vc aprendeu a cair a levantar lindamente, mas não só isso, sabe como ninguém estender as mãos quando vê alguém caído pelo caminho... Obrigadooooooooo amiga por fazer minhas quedas menos dolorosas.... Xeroooooo!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta