Poetizando

Poesia, creio que aprendi
A tratar-te como um ser e não como objeto.
És livre e livre vem a quem quiseres...
Não será pela minha graduação, coesão, intelectualidade.
Vens de madrugada quando choro na melancólica solidão,
Ou quando sinto ódio deste mundo vilão!
Porque na verdade, senhora,
Tu és antes de tudo "O" sentimento

A arte que norteia o meu mundo,
O saber que busco em meu interior
A busca por mim mesma...
Então, que venhas brandamente
E nessa brandura voluntária, entregues tua beleza, solícita...
Não és expressão de dor, nem de alegria,
És a expressão do ser!
Creio que não cansarei meus dedos,
Se de mim nasceres naturalmente.
És apenas vontade, não necessitas de bagagem.
A não ser da linguagem interior. 

"Conhece-te a ti mesmo, ó linhagem divina vestida com trajes mortais". 

Ana Paula Duarte

Comentários

gutox disse…
A cada post seu aki no blog vai me surpreendenu e se superanu hein!!!
gostei do ultimo q c fez!!!
eita minina talentosa modezo!!
Bju(na boca)rsrsrs

"Conhece-te a ti mesmo, ó linhagem divina vestida com trajes mortais".
Ana Paula Duarte disse…
tah...mas essa parte ñ foi eu que fiz ñ!
ahuahuahuahua...acho q foi platão ou aristóteles...ñ lembro..ahuahua.
bj(na testaaa).
Wedeson disse…
www.vibeflog.com/wedesonfsa
Wedeson disse…
Estou adorando te conhecer.. BJus
Uia! que negócio mais profundo...
Muito bom!!!
Um dia qdo eu entender tudo comento mais!
Henrique disse…
Muito vom seu Blogg Aninha!!
lindos textos =DDD
gostei do Poetizando!!

bjossssssssssssss
continue escrevendo vc tem talento!!
R.Vinicius disse…
Queima em ti versos, poemas. Tu és poetisa, musa, amiga, mulher. Gosta desta tua forma, de tantas formas. Gostei dos teus versos. Abraço, até breve,

R.Vinicius

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

Escreva, Ana!