Das coisas e do medo de ser só.






    Tem épocas na vida da gente em que aparecem tantas pessoas, a vida se enche de gentes, que fica até difícil administrar tanta atenção. Têm outras em que há quietude e solidão, onde o silêncio das ausências fala alto. Porém sem saudade, porque de alguma maneira há presença nesta falta.
   Tem gente que tem pânico de viver só. Eu não. A solidão me cai bem algumas vezes. Não estou fazendo apologia ao isolamento misantropo, não se trata disso, sou um ser sociável, mas aprendi e me acostumei com estes momentos de solidão e silêncio. Já não tenho pavor de mim, já não sou tão dependente de presenças físicas. Aprendi a conviver com presenças pra além. Como isso? Não quero saber de cabimento e nexo, mas, por tantas vezes nos sentimos sós em meio à uma vasta multidão. Presenças físicas... Mas, cheias de ausência.E quando me ligo à solidão, a abraço. Aprendi a aproveitar instantes. Cubro-me com sua paz e introspecção. 
   Caminhar sozinho é uma das nossas primeiras grandes atividades da vida. É preciso caminhar só e em silêncio alguns momentos, passos mais curtos, sem pressa na velocidade para ir apreciando o caminho. É preciso sabedoria para aceitar a solidão como tempos de bonança e esperar, calar, refletir, recarregar as energias, tornar-se indolor.



"Quem tem um amigo, mesmo que um só, não importa onde se encontre, jamais sofrerá de solidão; poderá morrer de saudades, mas não estará só."

"Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite."

"A liberdade é a possibilidade do isolamento. Se te é impossível viver só, nasceste escravo."

Ana Paula Duarte. Não temo a solidão, pois não estou sozinha.
Ps: Pra quê tentar entender?

Comentários

Dayane Carneiro disse…
Pronto! Era isso q eu queria dizer, mas só tu consegue! M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O! Me sinto muito só e cheia quase sempre, que bom ter um entendimento através de um texto tão gracioso! Beijos, Aníssima!
Victor disse…
Amiguxa....curti o texto, to passando por isso agora em casa de molho por causa da cirurgia! rsrs
Continue escrevendo sempre, pois é um dom que você visivelmente tem. Beijão!
Parabéns pelo blog...
textos de qualidade e com orgnização perfeita nesse novo layout

parabéns!
Gutox disse…
To vivendo esse momento de solitude e acho bom (algumas vezes rs)
mas é necessário(pelo menos pra mim)
Texto muito bom hein!
Parabéns mais uma vez!
verinha disse…
Olá Aníssima. Nossa, que reflexão mais coerente! Minhas felicitações pela bela escrita. Ana seu espaço está diferente, da arte às linhas suaves, uma energia serena. Não se esqueça, tudo está conspirando para tua felicidade plena, agarre com unhas e dentes e administre bem. Um grande abraço poetisa vermelhinha!
Já tive medo, hoje penso assim: antes só do que mal acompanhada.

Bom domingo.

Saudades de vc!

beijooo.
Everson Russo disse…
As vezes temos que passar por esses momentos na vida,,,nos fortalece,,,grande beijo de bela semana pra ti.
Daniel Savio disse…
As vezes é necessário a solidão para nós ouvirmos a voz interior de nós, sem distrações exteriores...

Fique com Deus, menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Marcos Fellipe disse…
Oiiii Anaaa!! A nova roupa do blog está lindaaa... Parabéns... E com um texto a altura para esta novidade.... Lendo o texto lembrei de Drummond:
“Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.!“

Tem uma coisa que ano repetindo sempre depois de ter lido Wittigenstein.
As coisas são os nomes que lhe damos. Se chamo minha solidão de inimiga, ela será minha inimiga. Mas será possível chamá-la de amiga? Vc e Drummond mostraram que sim... Bjoooo Ana!! Vc está cada vez melhor... Surpreendente!!!
Aníssima, adorei seu blog e também essa inteligente "elocubração" sobre o Estar só ou...Estar consigo mesmo. Ótimo!
Fiquei muito feliz por sua visita lá no Óbvio. Obrigado de coração.
Gostei tanto de seu blog que nem vou seguí-lo. Vou perseguí-lo.
Uma beijoca com carinho de bom domingo.
Manoel.
Adri Ferreira disse…
Onde é que eu assino??? =P

Acho sinceramente que a "solidão" é o melhor momento para nos conhecermos. Período perfeito pra auto análise.
Bjos e parabéns pelo texto Ana. =D
"As coisas são os nomes que lhe damos."

Acho que vou seguir (mais uma vez) seu exemplo e ler Wittigenstein.
Ando nomeando muitas coisas. No mais, obrigada pelos comentários meu povo. É isso aí mesmo, aprendamos a nos suportar, sem precisar de moletas.
Abraço a todos.
Bandys disse…
Adorei o texto e me vi nele.
Acho mais importante da solidão é saber lidar com a gente mesmo com as virtudes e os defeitos. Tratar tudo isso com bom humor e continuar a vida.

"A solidão é a sala de audiencia de Deus."


|Beijos
Acertei, rodando o Blog de Day, encontrei o seu e estou aqui maravilhado! Poderia dizer: "êta aníssima retada!" mas seria muito pouco. Sua escrita nada mais é que um dom, quanta sabedoria, e arte te seguem, hein Ana?! Voces estão me viciando, através de seus blogs. Adorei conhecer este lado seu, surpreendente cada vez mais. Beijos!
Pena disse…
Estimada e Simpática Amiga:
Está repleta de sabedoria. É uma pessoa culta e extraordinária.
Registei:
"...não se trata disso, sou um ser sociável, mas aprendi e me acostumei com estes momentos de solidão e silêncio. Já não tenho pavor de mim, já não sou tão dependente de presenças físicas...."


Sim! Também me dei sempre bem com a solidão.
É perfeita e preciosa, no que cria de forma fantástica.
Bem-Haja, pelas lindas palavras expressas no meu blogue. Adorei.
O seu é de maravilhar e fascinar. Sublime.
Beijinhos amigos.
Com respeito, estima e consideração. Volte SEMPRE!
Com admiração constante.

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade.
Bem-Haja, perfeita amiga.
Everson Russo disse…
Uma excelente semana pra ti querida,,,muita paz e beijos no coração.
tossan disse…
Eu entendo Ana Paula Duarte! Sinto o mesmo. Belíssimo texto! Beijo Aníssima
Marcelo disse…
Exatamente isso.
Vivi um tempo em que eu não conseguia sequer dar atenção a tantas pessoas que me cercavam ao mesmo tempo.
Hoje tenho toda a minha atenção voltada apenas a mim...
Não sei ainda se isso é bom ou ruim, sei apenas que existem dias em que sinto falta de uma certa "zoada", e outros em que me abraço como se nada mais fosse necessário além de mim.
Nathi disse…
"Sem precisar de muletas" Isso foi genial!!!

Sozinha escuto sons que não estou pronta pra interpretar, mas escuto assim mesmo, como criança teimosa, e horas choro, horas sorrio do nada, o nada que em mim reside.

Ps: Um outro cara que leio escreveu sobre o mesmo assunto a pouco...engraçado quando a gente lê coisas parecidas em uma só semana.

beijos
Inside Me disse…
minha linda aninhaaa, há mt eu nao lia um texto tão perfeito, falou tudo q a gente sente em certos momentos, ficou como um espelho refletido e nopssa cara pálida na tela, apenas constatando uma verdade... amei.
p.s. q bom q voltou ^^ o/
bjao
Chica disse…
Que linda reflexão e lindo blog.Que bom que me achaste, assim, já estou aqui! um beijo e nos veremos sempre agora!chica
Cadinho RoCo disse…
Não sei exatamente o que é estar só.
Cadinho RoCo
Messias Brito disse…
Não nego que adoro uma companhia, sobretudo física...rsrsrs
Mas há outros momentos em que nem mesmo temos a opção de caminhar com alguém, pois a estrada é íngreme, tortuosa e cheia de labirintos, e ela chama apenas pelo nosso nome. Nestes momentos a caminhada é sempre um exercício de solitude.
Neste caminhar, as companhias que melhor nos compreendem são os ausentes e até mesmo os desconhecidos, que nos legaram sua sensibilidade e experiência diante do imperativo de existir. Poetas, místicos, artistas e religiosos muitas vezes nos mostram alguns sinais, apontam para sendas luminosas capazes de iluminar caminhos e abrir novos mundos.
Nesta viagem estamos todos como o pequeno príncipe, sozinhos diante de mundos desconhecidos e seres estranhos, tentando encontrar um lugar para pousar...
Amei seu texto Ana, admiro sua sensibilidade para o q há de mais importante e significativo na vida - sobre o q realmente vale a pena pensar e escrever!
Estarei sempre lhe acompanhando.
Bjos
Déia disse…
É isso. Temos que aprender a ser só e a ser acompanhado...Os dois precisam de limites para não cansar ou virar costume!

bj
Ricardo Thadeu disse…
muy bueno
as vzs eh bom ficar só ;)
Vieira Calado disse…
Também simpatizo com o Lula.

O trabalho é árduo, mas penso que o Brasil irá prá frente!

Beijoca
Laís Portela disse…
Importante essa solidão, pois ela ajuda no autoconhecimento... se você se conhece, conseguirá conviver consigo mesmo.
Parabéns pelo texto!
Abraço!
Tamarinda disse…
Excelentes elocubrações, amiga.
Eu penso que estar só é mais um estado de espírito mesmo. As vezes estamos rodeados de pessoas, mas estamos sós pq assim precisamos estar. Só com nossos pensamentos, alegrias e pesares.

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta