"Antes bobagens sem responsabilidades eram nossas felicidades. Hoje, responsabilidades sem bobagens são os motivos das nossas felicidades."

Wagner Lobo

Comentários

Ana Paula Duarte disse…
Foi suscinto, claro, preciso, exprecivo!
O Profeta disse…
Fecham-se as janelas de poente
Acenderam-se os luzeiros no céu
A cidade desperta para o arraial
Uma noiva procura o perdido véu

Os acordes da Banda no Coreto
Uma tuba marca o compasso
O clarinete dança na calmaria
O Maestro solta gestos no espaço



Bom fim de semana



Mágico beijo
hahaha
bem engraçadinhoo!
:D

Eh mesmoo,responsabilidades sem um poukinho de bobagem seria um porre ¬¬
hahaha

;**
wagner442 disse…
Fui tudo isso ai mesmo? rs
Isto veio de uma conversa simples em noite de inspirações.
Gustavo Neto disse…
Olá Ana Paula! Chic demais seu blog! Literatura é uma arte sem limites!! parabéns. Também tenho um blog_ www.ambiente09.blogspot.com _ ok?

apareça!!!

vlw
Simples e direto.

Como as coisas mudam da infância, adolescência, fase adulta (novas experiências/responsabilidades)...

Obrigado, volte sempre!

Bjosss bom domingo!
O Profeta disse…
Onde acaba a terra e começa o Mar
Há um lugar onde vive a ilusão
Repousa na madrepérola das conchas
Com a forma de um coração

Onde as giestas se agarram à areia
Onde as pedras têm diadema de algas
Onde o Mar conta histórias longínquas
Onde as vagas soltam distantes mágoas


Bom domingo



Mágico beijo

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta