Com o mundo nas mãos


Bernardo tem cinco anos, mas já sabe da existência do Japão. E aponta para o céu com o dedo:- É atrás daquele teto azul que fica o Japão?Tenho de explicar-lhe que aquilo é o céu, não é teto nenhum. (...)Na primeira oportunidade compro e trago para casa um mapa-múndi. (...) O menino não lhe deu muita importância, quando apontei nele o Japão e a Inglaterra, o Brasil, os países todos. Limitou-se a faze-lo girar doidamente, aos tapas, até que se desprendesse do suporte de metal. Consegui convence-lo a ir destruir outro brinquedo, o secador de cabelo da mãe por exemplo, que faz um ventinho engraçado – e assim que eu me vi só, tranquei-me no escritório para apreciar devidamente a minha nova aquisição.
Com o mundo nas mãos, descobri coisas de espantar. Descobri que a Coréia é muito mais lá pra cima do que eu imaginava – uma espécie de penduricalho da China, ali mesmo no costado do Japão. (...) A Tasmânia não tem. Pelo menos não encontrei. (...)Duvido que alguém me diga onde fica.
A que aventura mais temerária a de Deus, escolhendo caprichosamente este lindo e insignificante planetinha para a ele enviar através dos espaços o seu Filho, feito homem, com a missão de redimir a nossa pobre humanidade.Faço votos que tenha valido a pena e que um dia ela se veja redimida. Até lá, este mundo não passará mesmo de uma bola como esta que meu filho Bernardo irrompendo alegremente no escritório me arrebata das mãos e sai chutando pela casa.

Fernando Sabino, “Deixa o Alfredo Falar”.

Comentários

ita!
Que lindO!
Sou fã do F. Sabino...
Ele talvez seja o maior responsável pela minha paixão por crônicas...
Escreve d+!
Ana Paula Duarte disse…
Pois é...sabe neah...aki o processo é rígidoo!
hehe.
cleyton disse…
mandou ver no assunto da eloa vei!!
alias todo o blog ta d parabens. teu mundo eh louco mesmo!!!
visitarei ele sempre!!!
abraços

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta