Flor


Por que sempre esperamos mais dos outros?
Por que a pétala de uma flor é tão frágil?
Por que as relações inter-familiares estão difíceis?
Por que entre o amor e o ódio há um fio tênue que perpassa diversas vezes, feito um país sem guarita em fronteira?
São perguntas que me faço sempre...já aqui não impera o meu eu lírico
E sim meu eu curioso por respostas que nunca vêm...
Tanta coisa muda, mas acaba que na verdade nada muda!
Uma amiga me falou que a vida não está sendo fácil pra ninguém.
Mas, percebendo a pétala da flor
Vi que ainda frágil, o vento a balança, a sacode de um lado a outro,
mas ela resiste e não deixa de ser frágil.
Talvez eu seja a pétala de uma flor.
Talvez você também seja.
Mas tudo é tão indefinido e eu só queria ser mais forte...
Uma pétala de ferro...dura e sensível, um paradoxo fundido!
Sou flor de carne e osso.


Ana Paula Duarte

Comentários

"(...)Sou flor de carne e osso."
É... que reflexivo...
Gostei muito!
Me vi nessa frase aí...
Acho que gosto do que tu escreve pq muitas vezes é o que eu mesma queria ter escrito, se eu soubesse dz desse jeitinho mesmo...
hehehehe
Ainda bem que tem tu pra falar,
esse é o escretior: aquele capaz de dz algo de si utilizando-se da universalidade, e ser universal (portanto) enqto fala simplesmente de si mesmo.

...........................
Ana Paula Duarte disse…
Todas nós somos...
Acho que estou sendo influenciada por Clarice...uhu...qd crescer quero ser igual a elaa!
gutox disse…
O mais interessante é que no poema é falado de uma forma tão pessoal que acaba atigindo a realidade do universo deu muitas pessoas,todos nós somos flores,cada uma diferente da outra porém todos flores de carne e osso!!!!

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta