Aturdidos- Gutox Hieros, Procurando o que é amor...

Por Gutox Hieros.
Mais uma tentativa de trazer definição para o amor, desta vez, por Gutox Hieros, o administrador do blog Poetas no Divâ e Manuscritos Digitados.
Vamos ao texto e à sua concepção.

Juro que custou para que as palavras surgissem e se derramassem sobre o papel, primeiro que não se trata de um assunto qualquer, como falar do último capítulo da novela das oito ou de outro assunto fútil, é falar sobre a força que rege os simples de coração.
O amor já foi descrito por vários poetas, porém nunca foi definido por eles e jamais será definido por qualquer mero mortal, ele simplesmente é indefinível, poderia eu tentar defini-lo, mas seria uma vã tentativa.
O amor (em minha falha opinião) é querer ficar próximo mais perto da pessoa amada, é sentir necessidade de ficar junto e dividir até a respiração, é se entregar, se render e conseqüentemente querer ser recompensado por tal ato.
É ter a própria idéia de paraíso, é perder-se no meio de medos e anseios.
Mas ainda estou procurando o que realmente é o amor em sua essência ou será que essa essência é tão nítida que não podemos enxergá-la? (Contradição!)
Creio que podemos apenas senti-la e nada mais, pois quando o amor bate na porta do coração instantaneamente ficamos cegos, não há como enxergar nem mesmo um palmo à nossa frente muito menos a essência de algo que transforma a vida de uma pessoa;
Mesmo que um dia esse amor possa vir a se transformar em algo que te faça sofrer não hesitar vivenciá-lo é a melhor coisa que podemos fazer e ter fé que um dia dará certo e atitude para buscá-lo
Como a bela voz de Leigh Nash diz: “O amor quebra teu coração para te ensinar a ser mais forte.”
Enfim, o indefinido e inefável amor é mais além do que nossas falhas conclusões e mais imponente do que nossos frágeis corações, talvez deva ser por isso que quando ele vem não há forças para impedir o seu domínio.

Ps:A orquídea amor-perfeito continua a ser a imagem representativa nos textos.
Breve novo Aturdidos, a série.

Comentários

Ana Paula Duarte disse…
A sua insegurança inicial de postar aqui chegou a ser engraçada depois que li o texto...Lindíssimo Gutox, parabéns!

"O amor já foi descrito por vários poetas, porém nunca foi definido por eles e jamais será definido por qualquer mero mortal, ele simplesmente é indefinível, poderia eu tentar defini-lo, mas seria uma vã tentativa."

É, a gente perde tempo muitas vezes buscando explicação para o inexplicável, pq ele existe e o amor é uma dessas coisas inexplicáveis, mas que são sentidas de forma tão latente que dói.

“O amor quebra teu coração para te ensinar a ser mais forte.”

Nossa, que frase forte e verdadeira, pois o amor só tem mesmo a nos ensinar, quebrar nosso ego, nos tornar criaturas melhores.

Bjão.
Gutox disse…
A minha insegurança veio depois que vi os textos sobre o mesmo tema e pensei:"será que vai sair tão bom quanto estes?"
Mas pelo menos saiu algo né?
Enfim,muito obrigado pela oportunidade e pelo elogio ao texto.E mais uma vez parabéns pelo blog,leitura de primeira!
TATY disse…
Sensacional, Gutox escreve muito bem e é ótimo em passar pelas letras coisas que não sabemos nem sentir!
Parabéns pelo que és!
Aline disse…
Acho que o amor é tudo, e definições não se encaixam nele.
Adorei a série aturdidos, é visível a sintonia entre os três textos, todos falam de amor, mas nenhum cai no erro de definir.

Muito bons!
Parabéns aos Drumonds e as Clarices.
Um caro cidadão disse…
E a gente fala, fala, fala. Se encanta... percebe que nada acrescenta. Continua a falar...


Mas se tratando de Amor, o bom é não chegar a lugar algum, para que ele não tenha limites, para que ele não tenha fim, ou para que não surja alguém, dententor de um saber tal, para desmistificar o que melhor tem o amor: sua infinitude.


Ah O amor...



Texto ótimo. Muito bom de ler.

Postagens mais visitadas deste blog

O olhar de Margot sobre a vida adulta

O Profeta