Aturdidos-Procurando o que é amor.

Por Dayane Carneiro.
A série Aturdidos é retomada com novo tema, um aturdimento que faz parte do senso comum:trazer uma definição para o que é o AMOR, este sentimento que por vezes aturde os seres de carne e osso.
Temos a seguir um texto lindíssimo que busca tal definição.

Tantas são as circunstâncias em que o amor nos envolve. Escrever as 02h55min é uma delas, mas caberia indagar, mais uma vez, o que é o amor? O que ele faz nas pessoas e com as pessoas? Tanto escreveu grandes autores românticos, algum deles soube ao certo decifrar o amor? Tenho lá as minhas duvidas. Vivo em um mundo em que é tempo de globalização e essa trouxe também a permissão para o amor se locomover? Já não seria mais correto descrever o amor como um dia descreveu Shakespeare ou o amor foi alvo da metamorfose?
Modernizaram, também, o amor? Já não saberia amar quem vive cercado de dúvidas em relação a esse sentimento? Perguntas não são respostas, ainda aspiro significados para o amor, mas onde encontrar? Nos livros de Drumonnd, nas pregações bíblicas, na academia de literatura? É certo o amor ser tratado como pergunta, quando na verdade ele é a maior resposta de todos os tempos?
O amor cura, o amor oferta e mata a sede, o amor sufoca, o amor nos dar ar, o amor é tudo que se pode, é tudo que se pede, é tudo que se dá, o amor não é decifrado em uma palavra, tão poucos serão necessários os maiores textos para descrevê-lo. O amor é sem palavras, são todas as palavras. O amor é um suspiro, uma vida, é toda a eternidade, é apenas um momento... Passado, presente e futuro, apresento-lhes o amor, companheiro fiel nessa trajetória temporal. Ainda que sofrido e acrescido de mudanças, ainda que menos claro ou mais transparente, o amor durante todo o tempo reinou.


Texto da Graduanda em Letras Vernáculas da UEFS, Dayane Jamille Carneiro.

Observação:As flores no centro da postagem chamam-se amor-perfeito...

Em breve, nova postagem tratando do mesmo tema.

Comentários

Ana Paula Duarte disse…
Aturdidos de volta! \o/
Muito lindo o texto, parabéns a Day!
Só sabe o que é amor quem já sentiu de verdade e amor é isso...é sentir..vai além de definições!
As vezes passamos a vida inteira acreditamos amar as pessoas, até que deixamos de aceeditar para sentir sua plenitude um dia.

Abraços.
Gutox disse…
Muito bom o texto,o amor é definitivamente indefinivel e por isso que ele é muito "cultuado"
Pois se houvesse algo já conceituado para essa coisinha que "importuna" e alegra os corações não teria tanta graça.
Adri Ferreira disse…
Tomo a liberdade de acrescentar mais algumas palavras sobre esse sentimento q move o mundo.
Acredito no poder do amor.. e não falo só do amor entre homens e mulheres.. mas acho que o ser humano precisa aprender a amar incondicionalmente seu semelhante sem julgá-lo, nem apontar seus defeitos como se nunca tivesse errado.. apenas amar... assim seremos mais dignos de felicidade.

Bjos
Dayane disse…
Obrigada, amiga Ana. E obrigada a todos... Beijoooooooos!!!!!
Daniel Savio disse…
Bonito o texto, para mim, é ser sentir completo com algo totalmente diferente de ti, sabe, aquela felicidade que tem amnteem quente por dentro...

Fiquem com Deus, menina Dayane Carneiro e menina Ana Paula Duarte.
Um abraço.
Pelos caminhos da vida. disse...

ESTOU NA FINAL DA COPA BLOG
A VOTAÇÃO JÁ COMEÇOU HOJE E VAI ATÉ O DIA 30/05

É ATRÁVES DE COMENTÁRIOS TAMBÉM, NÃO
DEIXEM DE COLOCAREM SEUS E-MAILS, CASO
CONTRÁRIO O VOTO SERÁ ANULADO.

NO MEU POST ATUAL VC ENTRA POR LÁ DIRETO É SPO CLICAR ONDE ESTA ESCRITO;

clique aqui e Vote anamgs.blogspot-Ana

CONTO COM SEU VOTO, OBRIGADO.

BOM DOMINGO.

BEIJOOO.
Anônimo disse…
Ja fazia tempo que eu não vinha aqui e muita coisa mudou a começar pelo template.
Muitos textos interessantes, Ana sempre muito criativa.
Parabens a todos pelo blog
Voltarei mais vezes,
Ah, me ensine como cria essa conta no google (rindo)
Vitor.
Ana Paula Duarte disse…
Obrigada Viitoor!!
A conta do google é feita aí do lado da acixinha de comentários, logo em baixo tem especificando que se não tem uma conta crie na hora...rsrs
Bjo.
Um caro cidadão disse…
Se um dia a gente falasse tudo sobre o amor, ele se reinventaria pra que tivéssemos ainda mais o que falar.



Texto ótimo.... dá pra sentir o aturdimento da pessoa, e ouso, ainda, imaginar o quanto que ela deixou de falar. Mesmo recoberta de desejo de o fazer... hehehe.



Ah, o amor!

Postagens mais visitadas deste blog

Término Pós- moderno de um idílio amoroso

Escreva, Ana!

O olhar de Margot sobre a vida adulta